Realizar movimentos graciosos longe do chão costumava ser um privilégio dos trapezistas e dos acrobatas, mas agora a atividade está ao alcance de todos.

Jailson Vieira
Tubarão

A arte circense chegou a uma academia em Tubarão. O tecido acrobático – ou tecido aéreo – mistura arte, dança e exercício e faz os praticantes testarem os limites de seu corpo. A prática trabalha a coordenação motora, todos os grupos musculares e a expressão corporal.

De acordo com o professor Gustavo Ghedin, a modalidade encanta a todos que praticam. “É muito prazerosa e bonita. As aulas estão disponíveis no infantil e adulta. Trabalha-se a força, a resistência, a flexibilidade e o equilíbrio”, destaca Ghedin.

Não há restrições para a prática. Nem de biótipo e faixa etária. As crianças podem iniciar a partir dos 10 anos. Cabe ao educador físico adaptar a aula às necessidades de cada aluno. O peso também não é importante na hora de começar a treinar com o tecido acrobático.

Além do tecido comprido, o mais tradicional no decorrer das aulas, há ainda outras formas de praticar as acrobacias aéreas, como nos tecidos em gota, que se assemelham a uma rede fechada, e ainda a corda. Conforme o proprietário da Academia ReAtive Funcional e Fitness, Maicon Silva Fernandes, aos poucos o corpo vai se adaptando e o condicionamento físico melhora. “As aulas de tecido acrobático e acrobacias solo são modalidades circenses que ultrapassaram as lonas do circo e chegam como meio de aperfeiçoamento do condicionamento físico”, observa.

Por ser uma modalidade muito peculiar, algumas técnicas mais complexas exigem o uso de equipamento de segurança. O colchão é indispensável durante, pois os alunos podem eventualmente cair. As acrobacias mais executadas são manobras, combinações, quedas, voos e contorcionismos. “A ideia da ReAtive é encontrar atividades para toda a família em um só lugar. Temos projeto de começar o balé infantil. Temos os planos fitness, onde você faz um pacote com acompanhamento nutricional, psicológico e exercício físico alcançando, assim, rapidamente os objetivos”, sugere Maicon.