Goleiros tiveram pouco trabalho na partida.
Goleiros tiveram pouco trabalho na partida.

Thiago Oliveira
Tubarão

O clássico entre Hercílio Luz e Atlético Tubarão foi como o esperado. Um jogo truncado, com muitas faltas e poucas chances de marcar. Apenas um gol garantiria o Leão do Sul na semifinal ou manteria o Peixe no G4 do returno da Divisão Especial.

Com o empate, o Leão segue na liderança do returno, com 16 pontos, mas caiu para segundo na classificação geral, com 32. O Peixe foi ultrapassado pelo Porto, e caiu para a quinta posição, com 12 pontos.
Nas duas rodadas restantes, o Leão do Sul enfrenta o Camboriú, fora de casa, e o Atlético de Ibirama, no Anibal Costa, em jogo que pode definir a liderança do returno. Já o Peixe encara o Joaçaba, no Domingos Gonzalez, e o Porto, fora de casa, em confronto direto por vaga para as semifinais.

O jogo

Jogando diante da torcida, que compareceu em bom número ao Estádio Anibal Costa, o Hercílio Luz começou a partida no ataque, e quase abriu o placar no primeiro minuto. Claudemir cobrou a falta, Giba desviou, mas a bola bateu caprichosamente na trave. Depois disso, pouca emoção.

Ambos os times marcavam forte no meio campo, o que impediu maiores lances de perigo. Ao longo do primeiro tempo, o Atlético Tubarão começou a se soltar e mostrou boa movimentação, principalmente com Berg e Edimar. Mas o grande lance de gol da primeira etapa foi do Hercílio Luz. Edimar bateu a falta com força e o goleiro Rodrigão fez grande defesa.

Assim como nos 45 minutos iniciais, o Leão começou o segundo tempo partindo para cima, e quase abriu o placar com Uederson. Na primeira chance, ele cortou o marcador, mas chutou para fora. Na segunda, recebeu livre na direita e desperdiçou. Quando a bola entrou, não valeu. Giba recebeu na direita e bateu na saída de Rodrigão, mas já havia sido marcado impedimento.

O Peixe respondeu com o zagueiro André Ricardo, que cabeceou na trave do goleiro Dalton.
No fim do jogo, o árbitro mostrou o cartão vermelho para Xavier, do Atlético Tubarão, mas depois, voltou atrás, e deu apenas o amarelo. Edimar, do Leão, fez falta em Berg, e desta vez, sim, o cartão vermelho foi para valer.