Imbituba apostará em atletas locais e da base
Imbituba apostará em atletas locais e da base

 

Imbituba
 
Após o então presidente do Imbituba FC, Robertinho Rodrigues anunciar a desistência do projeto e colocar o patrimônio à venda, muitos torcedores da Águia ficaram apreensivos com o futuro da equipe. Mas a boa notícia é que o clube continuará na briga por uma vaga na elite do futebol estadual.
 
Para disputar a Divisão Especial do Campeonato Catarinense, que começa no segundo semestre, a administração ficará sob a responsabilidade do empresário Vanderlei de Souza, que assume o projeto a partir deste ponto. 
 
“Não podemos deixar essa recente história de sucesso do Imbituba morrer. O clube deu uma identidade para a região, revelou atletas, valorizou o talento local. Cumpriu com seu papel e agora é nossa vez de apoiar e lutar por esse projeto”, destaca Vanderlei.
 
Em abril, chegam os primeiros jogadores para o início dos trabalhos, que nessa primeira fase terão a coordenação do diretor de futebol Cazinho. “Vamos trabalhar com uma política bem definida, com pratas da casa, com a força do talento local, de forma simples e com os pés no chão”, frisa Vanderlei. “Mas com um time que será competitivo e aguerrido para dar orgulho a nossa torcida”, acrescenta.
 
Robertinho não vai mais comandar o futebol, mas, para atender o torcedor, cedeu o espaço para que o futebol em Imbituba continuasse e que a cidade pudesse ganhar com esse importante evento esportivo. “Tenho certeza que o Imbituba ainda vai trazer muitas alegrias ao nosso torcedor”, acredita Robertinho.
 
Conselho técnico ocorrerá hoje
Após ser remarcado por falta de quorum na primeira oportunidade, o conselho técnico da Divisão Especial do Campeonato Catarinense de 2012 será realizado hoje. Representantes dos dez clubes da segundona devem reunir-se na sede da federação em Balneário Camboriú para discutir a competição.
Segundo o presidente do Hercílio Luz (um dos clubes que não pôde participar da primeira reunião), Michel Mussi, o Leão não devia para a federação, e sim para o Tribunal de Justiça Desportiva. “O encontro foi no dia 28 (de fevereiro), mas só enviaram um documento no dia 27. Antes, nós não recebemos nada. Como vamos pagar se não sabíamos que estávamos devendo? Foi coisa antiga, de gestões anteriores”, esclarece.