Priscila Loch
Tubarão

Muitos torcedores do Atlético Tubarão chegaram a perder a esperança, a pensar que não comemorariam nenhuma vitória na Divisão Principal do Campeonato Catarinense. Levou 15 rodadas. Mais precisamente 54 dias para sair do jejum – o clube estreou em 19 de janeiro. Ufa! Enfim ela (a vitória) chegou. E o momento não poderia ser mais oportuno.

Se perdesse para o Atlético de Ibirama na noite de ontem, o rebaixamento do time tubaronense era quase certo. Mas, para a alegria de quem compareceu ao estádio ou ouviu o jogo pelo rádio, o resultado foi positivo: 4 a 3. Mas o torcedor só soltou o grito preso na garganta após o apito final, já que mais uma vez o Tubarão deixou o adversário marcar nos acréscimos.

Em um cruzamento de Rodrigo, aos 15 minutos do primeiro tempo, Carlinhos, de cabeça, inaugurou o marcador para o time da casa. Aos 34, os visitantes chegaram ao empate, com Marcelo, de pênalti.
Um minutos depois, Ricardo, do Ibirama, foi expulso. E dois depois foi a vez de Marquinhos, do Tubarão, receber cartão vermelho. Os tubaronenses ampliaram aos 44. Doriva empurrou Carlinhos, o árbitro marcou penalidade e Ricardo bateu.

Na segunda etapa, aos nove minutos, novamente Marcelo chutou para deixar tudo igual no Estádio Domingos Gonzales. Rodrigo Romão, em contrapartida, conseguiu colocar o Tubarão mais uma vez na frente no placar ao receber um passe, livrar-se do zagueiro e marcar o gol mais bonito da partida.

Aos 23, em cobrança de escanteio, Jairo Santos anotou o seu: 4 a 2. Vitor Hugo, do Ibirama, foi expulso aos 27. E o Ibirama buscou a vitória até o finalzinho. Ampliou aos 47, com Marcelo, mas não conseguiu a vitória. Além dos três cartões vermelhos, cinco jogadores levaram cartões amarelos – quatro do Tubarão (Alex, Orlando, Ricardo e Wilson) e um do Ibirama (Chiquinho).