Karen Novochadlo
Tubarão

O estado do técnico em manutenção Dilton Zabot Júnior, 38 anos, é grave. Ele está internado no HNSC há uma semana com suspeita de botulismo. Para a Vigilância Sanitária, ainda é cedo para intensificar a fiscalização a pizzarias e bares.

Além dos sintomas apresentados ‘baterem’ com os da doenças, Dilson também ingeriu alimentos que poderiam estar contaminados. O técnico comeu uma pizza de palmito e pepinos em conserva.
A pizzaria sofreu uma inspeção e foi lacrada. O estabelecimento funcionava sem alvará e licença sanitária. Os produtos utilizados não estavam adequadamente armazenados.

As conservas de palmito e pepino foram enviadas para análise em um laboratório em São Paulo. Os exames devem ficar prontos no dia 6.
O chefe da vigilância de Tubarão, Elias Gonçalves irá esperar pela confirmação da suspeita antes de intensificar as inspeções sanitárias em pizzarias e bares do município. “É muito cedo para antecipar decisões. Precisamos verificar os resultados dos exames”, afirma.

Elias acredita que os alimentos, por serem de marcas com boa reputação, não estavam contaminados. Segundo o secretário de saúde da prefeitura, Roger Augusto Vieira e Silva, todas as medidas adotadas pela vigilância foram elogiadas pela Anvisa.
Botulismo é uma forma de intoxicação alimentar, causada por uma bactéria, presente em alimentos mal conservados, principalmente quando enlatados. A bactéria atinge o sistema nervoso. Ontem à noite, Dilton permanecia na UTI.