Amanda Menger
Tubarão

A Cidasc iniciará o processo de brincagem dos rebanhos bovinos e bubalinos em março. Nesta quarta-feira, os médicos veterinários da regional de Tubarão estarão reunidos para definir os últimos detalhes e apresentação de um cronograma de ações. “A brincagem será importante para que o estado continue com o status sanitário que tem, livre de febre aftosa sem vacinação. Isso garantirá que os animais sejam rastreados do início ao fim da vida”, explica o gerente regional do órgão, Claudemir dos Santos.

Nesta primeira etapa, todos os animais receberão um par de brincos. O único custo para o produtor será o da colocação, procedimento feito por um agente agropecuário. “A Cidasc treinou, em dezembro, o pessoal para fazer este trabalho, que vai se estender até junho deste ano”, afirma o gerente. A intenção da secretaria de agricultura do estado é que 100% dos rebanhos, cerca de 3,5 milhões de animais, sejam brincados em Santa Catarina.

Os brincos conterão dados como a data de nascimento do animal, proprietário, quando foi vendido, vacinas, entre outros. As informações farão parte do sistema de defesa sanitária animal da Cidasc (SRBov-SC) e do Ministério da Agricultura, com numeração compatível com o Sistema Brasileiro de Identificação e Certificação de Origem Bovina e Bubalina (Sisbov).