Zahyra Mattar
Tubarão

O mundo é feito de continentes, que são formados por países, que nada mais são do que aglomeros de estados, cuja existência só é possível graças aos municípios. Países e estados são apenas instituições. E, quando em boas mãos, fazem a diferença no crescimento das cidades. Mas, para isso, é necessário estar presente e fortalecer-se junto a um punhado de municípios. O texto parece estranho, porém, é a base de pensamento da descentralização do poder em Santa Catarina, implantada pelo governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB).

Não se quer aqui defender o modelo de administração, mas chamar a atenção do cidadão para agradecer quando for de direito e cobrar quando houver necessidade. Junto com as secretarias de desenvolvimento regionais, o cidadão viu chegar perto de sua casa uma quantidade razoável de obras. Na Amurel, a região que mais agrega secretarias no estado, não foi diferente.

Algumas destas obras começaram e terminaram. Um exemplo é a pavimentação asfáltica da estrada da Guarda, em Tubarão. Demorou. Mas terminou e o resultado foi bom. Outro exemplo são as escolas. Inúmeras foram reformadas e outras tantas construídas. Hoje, a Noé Abati, no Andrino, inaugura. Até a próxima semana, outras três serão entregues: Lino Pessoa, João Teixeira Nunes e Santo Anjo da Guarda.

Porém, nem tudo são flores. Obra vitais, como o Aeroporto Regional Sul, em Jaguaruna, e o novo prédio do Presídio Regional em Tubarão, ainda não são realidade. No último caso, não há nem mesmo previsão de ocorrer. Outras obras arrastam-se. Não há exemplo maior que a estrada do Camacho neste sentido. O deputado federal Edson Bez de Oliveira ainda era o secretário de planejamento do estado quando a ordem de serviço foi entregue.

Ainda existem as obras que são sonhos: arena multiuso de Tubarão, e as rodovias Interpraias e Serra-mar. Todas estas últimas seis obras citadas são prioridade para o desenvolvimento da região e precisam sair do papel. E cabe ao cidadão, ao empresário, ao professor, à oposição e a todos que constroem um município cobrar por agilidade, respeito e que sejam iniciadas e terminadas, com qualidade e dentro do prazo. E você? Vai cobrar o que do governador hoje?