Maria Elisa Zumblick pede mais cuidados com as obras do pai.
Maria Elisa Zumblick pede mais cuidados com as obras do pai.

Angelica Brunatto
Tubarão

Com o pensamento no centenário de Willy Zumblick, que será comemorado em setembro do próximo ano, autoridades e familiares estão engajados em revitalizar o museu que leva o nome do artista tubaronense. A família também cobra de representantes municipais um melhor armazenamento do acerto de telas e estatuetas.

Na tarde de ontem, familiares e autoridades municipais discutiram o que deve ser feito para sanar os problemas. “Reformas devem ser realizadas em caráter emergencial no local”, revela a filha do artista, Maria Elisa Zumblick. Conforme o presidente da Fundação Municipal de Esporte e Cultura, Caio Tokarski, primeiro deve-se eliminar as infiltrações, melhorar a fiação elétrica e realizar pintura nas paredes internas.

Maria Elisa acrescenta que é importante também climatizar o ambiente. “O calor estraga as pinturas”, conta. Em 15 dias, um projeto, realizado pela secretaria de planejamento da prefeitura, deve ser apresentado. Nele, estarão as melhorias que deverão ser feitas. Estas serão custeadas com recursos da prefeitura. “A obra do museu é de uma qualidade ruim”, avalia Caio, que estima soluções para ainda este primeiro semestre.

Entretanto, para revitalizar todo o prédio, a prefeitura deve pedir recursos aos governos federal e estadual. “Será necessário R$ 5 milhões para realizar o serviço”, prevê Caio. Mas, enquanto a obra não começa, a família já pensa em alternativas. “É preciso melhorar a disposição das telas”, destaca Maria Elisa.

Fundação Willy

O museu, construído em 2000, era um sonho de Willy Zumblick. Ali estão 72 telas do artista plástico tubaronense. O restante das obras ou foi vendida ou está com familiares. A casa onde o artista vivia hoje está vazia. No local, a família quer montar uma fundação para contar a vida do artista. “Isso não é para a gente, isso é cultura”, declara a filha Maria Elisa Zumblick.