Estrada que liga o Sertão dos Mendes ao Km 60, em Tubarão, ainda está parcialmente obstruída. Prejuízos na região ainda nem foram contabilizados  -  Foto:Rafael Andrade/Notisul
Estrada que liga o Sertão dos Mendes ao Km 60, em Tubarão, ainda está parcialmente obstruída. Prejuízos na região ainda nem foram contabilizados - Foto:Rafael Andrade/Notisul

Rafael Andrade
Tubarão

O vendaval que assolou boa parte de Tubarão e região, no último dia 16, deixou um rastro quilométrico de destruição, tanto na cidade quanto no campo. Em bairros interioranos da Cidade Azul, por exemplo, os prejuízos ainda nem foram contabilizados, muito menos uma prévia dos estragos. A prioridade era resguardar os lares – cerca de 80% das casas sofreram avarias -, além de dezenas de empresas e repartições públicas, como escolas, por exemplo.

Agora, é hora de levantar, junto coma a equipe da Epagri e demais órgãos ligados ao agricultor, o quanto o homem do campo também sofreu com a passagem da tempestade, que registrou em seu pico a sonora marca de 220km/h.

Apesar dos estragos e por te acontecido em um domingo, somente uma pessoa morreu na Amurel (uma menina de 8 anos). Mas já se tem notícia que um homem de 45 anos também faleceu em virtude dos problemas ocasionados pelo fato – caiu do telhado quando consertava as avarias provocadas em sua casa (leia matéria na página 15). E também de um idoso de 70 anos, que teria morrido no dia do fenômeno de infarto fulminante, morador da região de Alto Pedrinhas, em Pedras Grandes.

Na região da comunidade do Sertão dos Mendes, em Tubarão, somente em uma propriedade, com área de cerca de cinco hectares de plantação de eucaliptos, o prejuízo financeiro pode chegar a quase meio milhão de reais. Quase todas as árvores caíram, e as que sobraram de pé, ou ficaram tortas ou com rachaduras. “Foi coisa de outro mundo. Moro perto desta área e também trabalho com madeiras. Também tive muitas perdas em minhas terras, nem consegui finalizar o prejuízo. Espero nunca mais presenciar este tipo de situação”, resume o agricultor Ronaldo De Pieri. As cidades mais afetadas na região foram Tubarão e Capivari de Baixo.

FGTS
O fenômeno climático que resultou na morte de uma criança de 8 anos em Tubarão, dezenas de feridos e centenas de casas, unidades de ensino (fundamental, médio e superior) e estabelecimentos comerciais completamente destruídas ainda rende muitas discussões.

Na noite da última sexta-feira, uma reunião entre representantes do legislativo municipal e federal, do executivo da Cidade Azul e empresários, na Câmara de Vereadores, buscou alternativas para retomar o crescimento da cidade, considerada a mais atingida no Estado.

Hoje, um encontro encabeçado pelo deputado Edinho Bez (PMDB), e demais parlamentares federais, está marcado com o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Magalhães Occhi.

Calamidade pública: kits da Defesa Civil do Estado chegam a Tubarão
Mais kits enviados pela Defesa Civil do Estado para serem entregues aos atingidos pelo vendaval chegaram a Tubarão na noite deste sábado. Ao todo foram 100 cestas básicas e 400 kits com materiais de higiene. Ontem, uma equipe de plantão ficou na Arena Multiuso – local que recebe a concentração dos donativos e dos produtos encaminhados pelo poder público -, desde às 9 da manhã, para receber doações, que chegaram até as 17 horas. A Defesa Civil do Estado enviou, na manhã deste sábado, a primeira parte dos cem kits de assistência humanitária destinados à população atingida pelo vendaval em Tubarão.

Estes kits são compostos de materiais de higiene e de alimentos, e são suficientes para atender 100 famílias. Importante lembrar que a Arena Multiuso segue com as portas abertas para o recebimento e entrega das doações. Ontem, a prefeitura pediu para que a população leve mais alimentação e materiais de higiene, e também de construção civil, além de telhas, claro. Nos últimos dias, o local recebeu muitas roupas, o que já é o suficiente para os próximos dias, mas o cidadão pode continuar doando este tipo de produto, no entanto sem haver muita necessidade (de roupas) a partir de hoje.

Educação
As aulas na rede municipal de ensino de Tubarão serão retomadas hoje, com algumas exceções. Os Centros de Educação Infantil (CEIs) voltam às suas atividades normais, exceto o Cantinho da Alegria, localizado no bairro Morrotes, que foi um dos mais destruídos no vendaval. Nesta unidade, existe a possibilidade de que o ano letivo seja retomado somente em 2017.

Em relação às Escolas Municipais de Educação Básica (EMEBs), praticamente todas também retomam seus trabalhos, com exceção da Arino Bressan (bairro Monte Castelo), Francelino Mendes (bairro São João, margem direita), Manoel José Antunes (bairro Vila Esperança) e Maria Emília Rocha (bairro Recife).

Sobre o transporte escolar, os serviços também voltam a funcionar normalmente, com exceção da rota São Martinho. Já o atendimento externo da Fundação Municipal de Educação continua interrompido – o local foi quase que totalmente destelhado.


Maria Clara de Souza tinha apenas 8 anos. Ela teve o corpo esmagado por uma árvore que caiu durante o vendaval do último dia 16 em Tubarão. Foi a única pessoa que morreu em decorrência do acontecimento climático. Com a velocidade dos ventos e se a tempestade tivesse passado pela região em um dia de semana, os óbitos poderiam facilmente elencar este como a maior tragédia de Tubarão. Dezenas de galpões vieram abaixo, inclusive uma parte considerável da gigante Itagres, no bairro São Cristóvão 

45 mil
pessoas podem receber o Fundo de Garantia somente em Tubarão.