Amanda Menger
Tubarão

Com o índice de um veículo para cada dois habitantes, o trânsito de Tubarão é um dos mais complicados de Santa Catarina. E para tentar ameniza o problema é sugerida a construção de três pontes: uma no centro, outra na divisa com Capivari de Baixo e a terceira na Guarda. A localização das pontes estará na pauta das discussões do Plano Plurianual (PPA) da cidade, que deverão ser realizadas ainda este mês.

O vereador Edson Firmino (PDT) enviou um requerimento ao prefeito Dr. Manoel Bertoncini (PSDB) solicitando informações sobre a construção da ponte ligando a Guarda margem direita à esquerda. “Ele respondeu que está em elaboração o projeto de engenharia e também o edital de licitação. Isso significa que aquilo que ele prometeu na campanha será cumprido. Para a região da Guarda, a construção de uma ponte terá impacto também na economia, pois ficará mais fácil chegar até as estações termais”, observa o vereador.

O secretário de planejamento da prefeitura, Edvan Nunes, afirma que o trabalho é feito em parceria com a secretaria de segurança e trânsito da prefeitura. “A definição do local interfere no fluxo de veículos e, por isso, precisamos da avaliação de engenheiros de tráfego. O local também influi no orçamento da obra e em outras questões técnicas”, explica Edvan.

Segundo João Batista de Andrade, o Sargento Batista, secretário de segurança e trânsito da prefeitura, alguns locais foram visitados, porém, não foi ‘batido o martelo’. “Até porque, durante as audiências do PPA, poderão surgir outras sugestões. No meu entendimento, para melhorar o trânsito, seria melhor construir uma quarta ponte, nas proximidades da Unisul. Os projetos tendem a andar mais rápido depois destas consultas populares”, analisa o secretário.

Audiências
Serão realizadas cinco reuniões do Plano Plurianual (PPA), quatro em comunidades e uma geral. As datas ainda não foram marcadas, devem ocorrer ainda este mês, já que a prefeitura deverá encaminhar o PPA para análise na câmara de vereadores até o dia 15 de abril. O plano é válido por quatro anos e deve estar de acordo com o plano de governo apresentado durante a campanha eleitoral.