Primeiras imagens do santuário impressionam pela grandeza da obra. Local terá capela, lojas e museu, entre outras estruturas - Fotos:Imagens: Faepesul/Reprodução/Notisul
Primeiras imagens do santuário impressionam pela grandeza da obra. Local terá capela, lojas e museu, entre outras estruturas - Fotos:Imagens: Faepesul/Reprodução/Notisul

 

Zahyra Mattar
Imaruí
 
A notícia certamente deixará a comunidade católica catarinense em festa. Está confirmado: o magnífico santuário de Albertina Berkenbrock, na comunidade de São Luís, em Imaruí, vai sair do papel.
 
A informação é do secretário de desenvolvimento regional em Laguna, Christiano Lopes (PSD). “É um projeto que desenvolverá o turismo de toda a região, não somente de Imaruí”, valoriza o secretário.
 
Os prazos não estão definidos, mas é trabalhado para que a licitação seja lançada neste ano, possivelmente no segundo semestre. “Não há sentido em investir em projeto para deixar na gaveta”, destaca Christiano.
 
E por falar em projeto, o do santuário é monumental. Assinado pela Fundação de Apoio a Educação, Pesquisa e Extensão da Unisul (Faepesul), é completo e funcional.
 
O terreno onde será implantado o memorial é de propriedade da Mitra Diocesana de Tubarão. Fica a cerca de 500 metros da igreja onde descansam os restos mortais da beata. Hoje, o local é ocupado pela Capela do Martírio.
“Idealizou-se uma obra que representasse não apenas a história de Albertina, mas que também fosse um local de vida, meditação e espiritualidade”, conceitua a arquiteta e urbanista, Vivian Mendes da Silva.
 
Ainda que tudo tenha sido pensado para privilegiar o lado do fortalecimento espiritual, o projeto também é destaque em relação a infraestrutura. “Todos os espaços estão adequados para serem acessados por todos”, completa o secretário executivo da Faepesul, Alexandre Martins da Silva.
 
Rodovia de acesso será pavimentada
A construção do esperado Santuário de Albertina Berkenbrock, obra que tem tudo para ser licitada no segundo semestre deste ano, dará uma nova roupagem para a pequenina comunidade de São Luís, em Imaruí.
Além o memorial, o estado também tem planos para a pavimentação da rodovia SC-401, que liga o centro da cidade até a localidade onde nasceu e morreu a beata. A estrada também é a principal ligação do município com Pescaria Brava.
Com isso, completa-se uma importante infraestrutura para alavancar de vez o segmento do turismo religioso na região. A confecção do projeto, que visa asfaltar os primeiros 12 quilômetros da estrada (no sentido centro a São Luís) já está autorizada.
“O investimento será feito exclusivamente pelo governo, possivelmente pelo próprio Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra)”, informa o secretário de desenvolvimento regional em Laguna, Christiano Lopes (PSD).
A obra, completa o secretário, será inclusa na sexta etapa do financiamento que o estado assinará junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID 6). “A meta é também lançar a licitação para a pavimentação este ano”, prevê Christiano.
 
Memorial Albertina Berkenbrock
♦ Executor
Fundação de Apoio a Educação, Pesquisa e Extensão da Unisul (Faepesul).
Diretor executivo: Carlos Alberto Nogueira de Sá.
Secretário executivo: Alexandre Martins da Silva.
Idealização: Mitra Diocesana –  ppadre Sergio Jeremias.
 
♦ Dados do projeto
Localização: estrada geral São Luís, em Imaruí.
Projeto arquitetônico: arquiteta e urbanista Vivian Mendes da Silva.
Área total do terreno: 5.625,00 metros quadrados.
Área total construída: 513,50 metros quadrados.
 
♦ Composição
• Museu
• Sala de ex-votos
• Capela
• Apoio administrativo
• Lojas de souvenirs
• Praça Albertina Berkenbrock