Neuza Souza salienta que utilizará menos o carro e procurará se adequar com a nova situação
Neuza Souza salienta que utilizará menos o carro e procurará se adequar com a nova situação

Jailson Vieira
Tubarão

Os consumidores terão que pagar mais caro para encher o tanque de seu carro. Desde o último domingo começou a valer o decreto do governo federal que altera as alíquotas do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre a gasolina e também o óleo diesel. 

Mesmo com o aumento da tributação, ontem, no segundo dia da elevação do preço do combustível, a procura pelo produto não baixou. O aumento ocorreu para tentar reequilibrar as contas públicas do governo federal.

O motorista José Américo expõe que os eleitores que votaram na presidenta Dilma erraram. “E, dessa forma, todos os brasileiros pagam a conta. Vamos procurar uma alternativa para economizar”. O autônomo Rafael Araújo salienta que o salário subiu, porém, os valores dos produtos tiveram uma elevação ainda maior. “Não temos outra saída, a solução é utilizar menos os veículos automotores”, completa Araújo.

Já a auxiliar de confeiteira Neusa Souza afirma que esta situação se tornou uma vergonha. “É inacreditável. Agora, vou procurar outra alternativa, como andar mais de moto. Utilizava o carro duas ou três vezes por semana, dessa forma usarei apenas uma ou nem andarei com o meu veículo”, declara. 

Nas próximas semanas, com o aumento do percentual do etanol na gasolina de 25% para 27,5%, é quase certo que o preço da gasolina volte a subir. A medida beneficia os produtores desse combustível quanto a Petrobras, que precisará importar menos o combustível que deriva do petróleo. 

O que mudou:
O aumento dos dois tributos corresponderá a R$ 0,22 por litro da gasolina e R$ 0,15 por litro do diesel, conforme relatou o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. O vice-presidente do Sindicato de Revendedores Varejistas de Combustíveis (Sindicomb) da região sul do estado, Luiz Ângelo Sombrio, conta que a média da gasolina na região ficará em torno de R$ 3,59.
Entretanto, o presidente do Sindicato dos Transportadores da Região da Amurel, Beto Lima, afirma que a decisão prejudica diretamente o setor de transporte do Brasil, uma vez que o combustível é o principal insumo das empresas transportadoras. “Metade do aumento do diesel, no caso 7,5%, é repassado no valor do frete, ou seja, ao consumidor final”, observa.

Confira os preços
Tubarão
• Posto Canário
Gasolina: R$ 3,29
Diesel: R$ 2,79
Bairro: Vila Moema

• Posto Premier
Gasolina: R$ 3,29
Diesel: R$ 2,79
Bairro: Vila Moema

• Posto Avenida
Gasolina: R$ 3,25
Diesel: R$ 2,80
Bairro: Humaitá

• Posto Fera 
Gasolina: R$ 3,29
Diesel: R$ 2,69
Bairro: Vila Moema

Capivari de Baixo
• Posto Polauto

Gasolina: R$ 3,33
Diesel: R$ 2,70
Bairro: Alvorada

• Posto Capivara
Gasolina: R$ 3,30
Diesel: R$ 2,70
Bairro: Centro

São Ludgero
• Posto Warmeling
Gasolina: R$ 3,52
Diesel: R$ 2,52
Bairro: Centro

• Posto Buss
Gasolina: R$ 3,52
Diesel: R$ 2,52
Bairro: Centro