Prefeitos decidiram ontem marcar um encontro com o governador do estado, Leonel Pavan.
Prefeitos decidiram ontem marcar um encontro com o governador do estado, Leonel Pavan.

Carolina Carradore
Tubarão

O tempo voltou a castigar a região. Depois da chuva intensa da semana passada, que deixou pelo menos 3.745 pessoas desalojadas no estado, um vendaval causou estragos no litoral.

Laguna foi a cidade da Amurel mais atingida. Ventos de pelo menos 70 por hora causaram deslizamentos no Farol de Santa Marta. Uma família foi retirada de uma residência, que corre sérios riscos de desabamento. No centro da cidade, uma árvore caiu e atingiu uma moradia.

Na localidade de Nova Fazenda, ruas ficaram alagadas e famílias também tiveram que se realocadas.
No bairro Perrixil, inúmeras casas foram destelhadas e oito famílias ficaram desalojadas.

Comunidades
isoladas em Imaruí

Em Imaruí, a chuva forte, acompanhada de rajadas de vento, atingiu principalmente o interior do município. As comunidades de Sertão e Tamboranti estão isoladas desde às 16 horas de ontem, após a queda de duas pontes que ligam as localidades à cidade. No bairro São Tomás e na localidade de Fazenda Rio das Garças, ruas estão alagadas e a linha de ônibus foi suspensa.

Veículos de passeio também foram proibidos de trafegar nesses locais. “Estamos esperando a chuva passar para ver se água abaixa e dê passagem aos veículos”, afirmou, ontem à noite, o secretário de obras da prefeitura, Emérson Bernardo Floriano. No centro de Imaruí, árvores também caíram prejudicando o trânsito.
Segundo o gerente regional da Celesc, Gerson Bittencourt, metade da cidade de Imaruí ficou sem luz por cerca de uma hora. Em Tubarão, alguns pontos da cidade também ficaram sem energia por aproximadamente 90 minutos.

Sem previsão
As estradas danificadas após as chuvas da semana passada ficarão mais alguns dias sem recuperação. Segundo o secretário de obras da prefeitura de Tubarão, Nilton de Campos, a usina de asfalto localizada em Pouso Alto, em Gravatal, não está fabricando o material. As chuvas de ontem também contribuíram para a paralisação das obras da secretaria.

Ciclone extratropical
A frente fria que atingiu o sul do Brasil, associada a um sistema de baixa pressão em superfície, manteve o tempo instável com chuva na maioria das cidades do estado. O ciclone extratropical no oceano causou rajadas de vento de 60 a 70 quilômetros por hora no litoral sul.
Para hoje, a previsão é de chuva na região sul.

Comporta amenizará alagamentos

Uma comporta de drenagem de 250 quilos foi colocada por volta das 21h30min de ontem às margens do Rio Tubarão, próximo à cabeceira da ponte Heriberto Hulse. O processo foi realizado por membros da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal, secretaria de obras, com o apoio da empresa Carara Torno e Soldo.
O equipamento antigo havia quebrado e a comporta nova evitará o refluxo das águas do rio nos bairros Dehon, Morrotes e Humaitá.

Prefeitos lutam por recursos

A chuva que atingiu a região na semana passada trouxe prejuízos às prefeituras. Ontem, representantes dos municípios que decretaram situação de emergência – Pedras Grandes, Gravatal, Jaguaruna, Tubarão e Sangão, reuniram-se com o secretário regional, Haroldo Silva, o Dura.

Os prefeitos querem marcar uma reunião com o governador Leonel Pavan. A intenção é que o governo estadual transferira pelo menos R$ 1 milhão para os municípios atingidos. “Preciso consertar pontes, arrumar estradas. Não posso deixar uma comunidade isolada. Vou atender a população. Depois, vejo como pagar”, declarou o prefeito de Gravatal, Rudnei Fernandes.

O diretor da Defesa Civil, José Luiz Tancredo, orientou os prefeitos a encaminharem os documentos necessários à Defesa Civil do estado, para garantir verbas do fundo estadual do órgão.