A procura por eletrodomésticos da linha branca aumentou em Tubarão. Mas antes de cair em tentação, é preciso avaliar a necessidade e pesquisar.
A procura por eletrodomésticos da linha branca aumentou em Tubarão. Mas antes de cair em tentação, é preciso avaliar a necessidade e pesquisar.

Karen Novochadlo
Tubarão

Os lojistas da região estão otimistas quanto as vendas para o Natal, principalmente os que comercializam eletrodomésticos da linha branca – geladeira, fogões e máquinas de lavar e alguns tipos de freezer.

Isto porque o governo reduziu do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) destas mercadorias. Com a manobra, o movimento nas lojas de Tubarão, por exemplo, aumentou significativamente desde a última semana.

Na Benoit, a gerente Sueli Duarte revela que a maior procura é pelas máquinas de lavar. Ela ainda não fez os cálculos de quanto acredita que deve vender a mais este ano, mas está mais do que otimista para este fim de ano.

“O pagamento do 13º salário também impulsionou o movimento e as vendas”, confere Sueli. Apesar de toda a empolgação em trocar ou adquirir um eletrodoméstico novo, é preciso ter cuidado para não cair na tentação e comprar algo que não precise.

“O Natal passa e as dívidas ficam”, alerta a coordenadora executiva do Procon de Tubarão, Reneuza Marinho Borba. Ela lembra que é importante fazer a pesquisa em várias lojas e não comprar por impulso.

“Um imposto foi reduzido. Contudo, ficaram os outros. É importante saber a necessidade da família e avaliar se terá como arcar com a dívida, especialmente se optar pelo parcelamento”, ensina Reneuza.

Quanto foi reduzido de imposto?
Desde o dia 1º deste mês, os consumidores podem comprar eletrodomésticos da chamada linha branca com preço menor. Para incentivar o consumo, o governo reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A estratégia foi utilizada para manter a produção da economia brasileira e o emprego, diante da crise econômica externa.

Entre os produtos que tiveram a taxa reduzida estão o fogão, cuja alíquota do IPI foi zerada (antes era de 4%), a geladeira (redução de 15% para 5% de IPI), e a máquina de lavar (era 20% e foi para 10%).

Os eletrodomésticos em estoque também entraram na lista de redução do imposto. Além disso, foi decretada também a queda do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), cobrado no crédito para a pessoa física. A alíquota anual passou de 3% para 2,5%.

Lojistas querem redução de IPI em móveis
A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) encaminhou ao Ministério da Fazenda um pedido para reduzir também o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os móveis. O objetivo é garantir que o segmento mantenha o atual ritmo de vendas.

O presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior, destaca que o setor terá uma queda substancial neste fim de ano, pois a redução do IPI para os produtos da linha branca faz com que os consumidores migrem suas compras do setor de móveis para o de eletrodomésticos.

A previsão da confederação é de que as lojas vendam 8,5% a mais do que o registrado no mesmo período do último ano. Antes, a estimativa era de 6,5%. Para o presidente, a nova estimativa é favorável em vista da crise econômica que atinge, principalmente, a Europa e os Estados Unidos.