Cabeceiras da ponte estão em fase de estaqueamento. Previsão é que a obra seja concluída em janeiro do próximo ano  -  Fotos: Lysiê Santos/Notisul
Cabeceiras da ponte estão em fase de estaqueamento. Previsão é que a obra seja concluída em janeiro do próximo ano - Fotos: Lysiê Santos/Notisul

Lysiê Santos
Tubarão

Ferros, máquinas, ferramentas e muita mão de obra na tão esperada obra da Ponte de Congonhas, que Tubarão e Jaguaruna. A empresa Engeton, responsável pela obra, tem prazo de 120 dias para concluir os trabalhos de construção das cabeceiras, que iniciou no dia 29 de setembro e tem previsão de término no próximo dia 27 de janeiro. Passado um mês da entrega da ordem de serviço, a ponte está em fase de estaqueamento. Ao todo, são 34 estacas nos dois lados, que serão colocadas cada uma com 24 metros de profundidade.

O operador de máquina Moacir Teixeira faz parte da equipe que diariamente trabalha no estaqueamento. Ele garante que até a próxima semana esta etapa será concluída. “Assim que terminarmos a primeira parte – do lado de Tubarão – iniciaremos o lado de Jaguaruna. Até o fim da semana que vem terminamos tudo”, afirma. 

Ele reside há quase 22 anos na Cidade Azul e acredita que a ponte irá facilitar o acesso à cidade vizinha. “Com certeza vai colaborar bastante, principalmente no verão, quando vamos para as praias. Frequento com a minha família o Balneário Camacho, e com o movimento na BR-101 a ponte vai agilizar a passagem”, destaca o trabalhador. 

Impasse marcou obra da travessia
A obra das cabeceiras da ponte foi orçada em R$ 1.898.001,91. A empresa Engeton tem o prazo de 120 dias para concluir o trabalho. A ponte foi demolida pelas prefeituras em janeiro de 2014. No fim da primeira etapa da nova ponte, agosto de 2015, as prefeituras não tinham recursos para construir as cabeceiras. Então, o governo do Estado verificou que houve erro no projeto, e não havia o complemento das cabeceiras e, posteriormente, assumiu a responsabilidade dos municípios. Somente em fevereiro deste ano, o projeto complementar ficou pronto.

Acesso à ponte está em estado lastimável
O mestre de obras Rui Lemos Fernandes reside no bairro Congonhas, em Tubarão, e atualmente trabalha em uma construção próxima à ponte. Ele e os colegas Manoel dos Passos Rafael e Evilásio Machado aguardam ansiosamente a conclusão da obra das cabeceiras.
“Agora acho que vai! Faz tempo que esperamos pela conclusão desta ponte. Vemos os trabalhadores todos os dias mexendo e acredito que vão entregar no prazo”, destaca Rui. Os moradores afirmam que a passarela agilizará o acesso à Cidade das Praias. E, falando em acesso, eles lamentam o estado da Estrada Geral de Congonhas, que está em péssimas condições de tráfego. “Faz uns quatro meses que esta via não recebe manutenção. E não é só por causa da chuva dos últimos dias, antes a rua já estava com muitos buracos dificultando a passagem”, alertam os moradores. 


Moradores do bairro Congonhas afirmam que a estrada de acesso à ponte está em péssimas condições. Há muitos buracos ao longo da via