Gravatal

Uma informação anônima de que a água fornecida aos moradores dos bairros Termas e Tiradentes, em Gravatal, estaria “com a cor amarelada e com a existência de resíduos”, chegou ao conhecimento da promotoria de justiça da comarca de Armazém, que instaurou inquérito civil para apurar a situação.

Durante as investigações, foram apresentados laudos referentes às amostras de água coletadas aleatoriamente em diversos pontos da cidade, dos quais se constatou resultado insatisfatório das análises realizadas. As amostras revelaram presença de Eschirichia coli (indicador de contaminação fecal).

O Ministério Público de Santa Catarina entregou ofício à Vigilância Sanitária da cidade requisitando a ampla divulgação dos resultados aos moradores para que suspendam a utilização da água nos bairros citados até a solução integral do problema.

Na última sexta-feira, encaminhou proposta de TAC com o propósito de solucionar administrativamente as irregularidades referentes à qualidade da água distribuída.

Representantes da Atlantis Gestão em Saneamento, empresa responsável pelos serviços de abastecimento de água e tratamento do esgoto em Gravatal, com sede em Tubarão, afirmam realizar periodicamente o monitoramento da qualidade da água em todo o sistema. Uma nova análise foi realizada e o laudo oficial será apresentado hoje à população.

Empresa responsável garante qualidade da água
Conforme análises feitas desde novembro de 2015 até outubro de 2016, a empresa Atlantis garante a qualidade da água distribuída em Gravatal. “O município possui apenas uma fonte de captação e uma rede de abastecimento. Então, é estranho que apenas alguns pontos apresentem esta anormalidade. Por isso, pedimos uma nova avaliação, já que inúmeros erros podem ocasionar um ‘falso positivo’, como, por exemplo, a desinfecção da torneira”, detalha o responsável técnico da Atlantis, Rafael Macieski.

Com relação às alterações na coloração da água, a Atlantis explica que o município foi atingido diversas vezes pelas fortes chuvas, que acabaram ocasionando uma série de obstruções na captação de água bruta devido a materiais sólidos oriundos da cheia do rio São Miguel, dificultando a captação e provocando o deslocamento de uma grande quantidade de argila.

Porém, quando ocorreu, foi realizada a devida comunicação e o problema foi resolvido no mesmo dia.