A indústria também puxou o quadro em Tubarão no mês passado.
A indústria também puxou o quadro em Tubarão no mês passado.

Angelica Brunatto
Tubarão

Números positivos na geração de empregos em Santa Catarina em fevereiro. O carro-chefe foi o setor de indústria da transformação. No estado, foram desligados 30.251 e admitidos 39.626. O saldo foi de 9.375. No comércio, a balança foi negativa, mais pessoas desligaram-se de empresas do que foram contratadas. A diferença, no estado, chegou a -1.545. O total de empregos criados no mês passado foi de 15.719.
Em Tubarão, o cenário se repete. A indústria também puxou o quadro de geração de empregos no mês passado. “Essa pesquisa mostra que o município apresenta uma crescente no setor de indústria da transformação, que deve se elevar nos próximos meses”, avalia o secretário de desenvolvimento econômico da prefeitura, Celso Meneghel.

Conforme o secretário, está na hora da indústria mostrar-se mais forte. “Se a chegada das multinacionais for concretizada, estes números serão ainda maiores, sem dúvida”, acredita o secretário.
Outro ponto forte, apontado pelo secretário, para a elevação dos empregos no setor industrial é a oferta de cursos de qualificação para a população. “Oferecemos curso de costura industrial, por exemplo”, conta.
O comércio também seguiu os moldes do estado. Na Cidade Azul, os números também são negativos. Foram empregados 548 e desligados 576. “É natural que nestes dois primeiros meses do ano o comércio apresente uma baixa, mas, com o início das aulas e a Páscoa, a expectativa é que este número aumente”, analisa Celso. No total, em Tubarão, foram criadas 55 novos postos de trabalho em fevereiro.

Construção civil

O setor da construção civil mantém-se aquecido na Cidade Azul. Entretanto, o número, que em janeiro apontava a criação de 185 novos postos, em fevereiro contribuiu apenas dois novos. Foram admitidos 164 novos funcionários, e desligados 162.

Últimos 12 meses em Tubarão

Tubarão criou, nos últimos 12 meses, 1.494 empregos. Os dados são da Pesquisa Geral de Empregados e Desempregados (Caged).
O setor que impulsionou a criação de vagas neste período foi o da indústria da transformação, com um saldo de 675 novos postos. O comércio ficou em segundo lugar, apresentando 496 do total de novos empregos. A extração mineral e a agropecuária não tiveram grande representação na tabela.

Os últimos 12 meses em Laguna

A geração de empregos nos últimos 12 meses em Laguna foi negativa: -2. O setor que menos contratou foi o de serviços, com um saldo de -76. O comércio também não admitiu pouco. O saldo foi de -10.
Por outro lado, a indústria de transformação foi responsável pela criação no 49 novos postos de trabalho, neste período o setor que mais contratou.
A agropecuária foi o segundo setor que mais contratou. Foram criados 19 postos em 12 meses. A construção civil vem em seguida, com a criação de 18 novos empregos.

Os últimos 12 meses em Imbituba

Neste período, a geração de empregos foi positiva em Imbituba, que criou em 12 meses, apenas sete novos postos de trabalhos. O setor que mais gerou foi o comércio, com a criação de 156 postos.
Os serviços também tiveram um número elevado de contratações, o saldo nos últimos 12 meses chegou a 140 novos empregos.
A construção civil foi o que menos contratou. Neste período, 364 pessoas foram contratadas, e outras 580 desligadas, um total de -216.

Saldos negativos

Laguna e Imbituba apresentaram saldos negativos na geração de empregos em fevereiro. Na Cidade Juliana, a principal queda foi sentida no setor de serviços. Foram admitidos 110 novos trabalhadores e desligados 192. O saldo foi de – 82.
O comércio também teve grande representação para a o saldo negativo. Os admitidos, no mês passado, chegaram a 129, e os desligados a 158. A diferença chego a -29.
A agropecuária, que foi o destaque no mês de janeiro, com a criação de 83 postos, desta vez deu lugar à construção civil. Em Laguna, há 69 prédios em construção. O setor foi responsável pela criação de 22 vagas de trabalho e o que mais contratou no período.

Imbituba também teve saldo negativo de empregos em fevereiro, -96. Os setores de serviços, comércio e indústria da transformação foram os principais responsáveis pelos números.
O setor de serviços, que foi destaque em janeiro, em fevereiro teve 151 contratações e 204 desligamentos, um saldo de -53.
O comércio também teve forte queda. O setor teve 131desligamentos e 109 contratações. Um total de -22 novos postos de trabalho.

A construção civil gerou 22 vagas de trabalho em Laguna.