Arena deve ficar pronta no fim do próximo ano.
Arena deve ficar pronta no fim do próximo ano.

Karen Novochadlo
Tubarão

Antes do término das obras da Arena Multiuso Estêner Soratto da Silva, é necessário que esteja pronto o projeto que regulamentará o funcionamento do local. Do contrário, será apenas um elefante branco, como ocorre em outras cidades. Ao que indica, a prefeitura de Tubarão já mobiliza-se para que isto não ocorra.

Uma empresa de Joinville foi contratada para realizar um estudo do impacto que a arena irá trazer ao município e que tipos de atividades podem ser realizadas no local. Também estarão contemplados um levantamento da rede hoteleira e de restaurantes. “Precisamos saber que tipo de conferências podemos realizar”, aponta Caio. A ideia do secretário é que a administração seja feita através de uma parceria entre a Associação Empresarial de Tubarão (Acit), a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), a Unisul e a prefeitura.

“Vimos que em outras cidades, onde foi administrado somente pela prefeitura, não deu certo”, explica Caio. A utilização do espaço não será gratuita. “Precisamos cobrir nossos gastos com a manutenção, água e energia elétrica”, justifica.
Claro que para a prefeitura haverá um percentual de dias gratuitos que poderão ser utilizados. A expectativa é que até o dia 31 de março o projeto de gestão esteja concluído.
A previsão inicial é que tudo esteja pronto até o dia 20 de dezembro de 2012. Os trabalhos iniciaram no dia 3 de janeiro deste ano. A Arena Multiuso é fruto de um convênio: a prefeitura desembolsará R$ 4.252.510,50 e o estado R$ 9.922.524,50. As obras são executadas pela Construtora Viseu, de Joinville.

Espaços
• Área total construída: 10.229,00 metros quadrados.
• Área térrea: 7.412,10 metros quadrados.
• Área superior: 2.817,30 metros quadrados.

Capacidade
A Arena Multiuso de Tubarão terá capacidade para 9.492 pessoas sentadas. Em caso de um show, o espaço é suficiente para abrigar 11.992 pessoas (sentadas e em pé na quadra). Separadamente, os espaços têm a seguinte capacidade:
• Teatro
Tem área de 1.054,20 metros quadrados e capacidade para 888 pessoas sentadas.
• Arquibancadas da quadra poliesportiva
Tem área de 1.336,48 metros quadrados e possui 3.604 cadeiras fixas. Em caso de utilização da quadra, cabem mais cinco mil cadeiras ou 7,5 mil pessoas em pé.

Outras áreas
• Vestuário do teatro: 611,43 metros quadrados.
• Vestuário principal: 809 metros quadrados.
• Palco e espaço de apoio: 531,75 metros quadrados.
• Café/Bar: 290,73 metros quadrados.
• Salas para evento: 336 metros quadrados (84 metros quadrados cada).

Nova sede da prefeitura

A construção da nova sede da prefeitura de Tubarão será realizada no mesmo terreno da futura Arena Multiuso, no bairro Aeroporto. A secretaria de desenvolvimento econômico busca a captação de R$ 6 milhões para a construção do prédio, através do Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios (PNAFM), e Caixa Econômica Federal. De acordo com o secretário da pasta, Celso Meneghel ainda faltam alguns documentos para serem entregues. A quantia também servirá para a aquisição de softwares e modernização do sistema. Um outro fundo será utilizado para a aquisição de móveis.

Novo espaço para o skate

Desde julho deste ano, os skatistas de Tubarão, da modalidade de street, não têm mais um local seguro para praticar o esporte. Aliás, nunca tiveram. Antes, eles utilizavam o estacionamento do antigo Angeloni, no Centro, que foi demolido. A situação deve melhorar!

A ideia é que a nova pista seja construída no mesmo terreno da Arena Multiuso. Em breve, será realizada uma reunião com o secretário de cultura e esporte, Caio Torkaski, o prefeito Manoel Vertoncini e o presidente da Associação Tubaronense de Skateboard, Ranieri Rodrigues, para avaliação do local. Para a viabilização da obra, serão buscados recursos com a iniciativa privada.

Os skatistas chegaram a realizar uma passeata pelas ruas de Tubarão em julho. O objetivo não era protestar contra a destruição do local, mas pedir que o poder público providencie um novo espaço para a prática do esporte. Os rapazes começaram a usar o espaço em 2003, quando foi derrubado o teto do estacionamento. A pista de skate da praça 7 de Setembro não pode ser utilizada para a modalidade de street.
A sede centralizará a administração municipal e reduzirá os custos com aluguéis de salas.