Carolina Carradore
Tubarão

A nota oficial do PMDB nacional informando que retomará o processo de intervenção no diretório do partido em Santa Catarina não foi bem recebida pelo ex-governador Eduardo Moreira. “Essa medida é coisa de ditadores. É claro que não vou deixar assim”, contrataca Moreira. A intervenção ocorre por conta da renúncia de Moreira como cabeça-de-chapa ao governo do estado. Em acordo com o PSDB, Moreira será o vice do tucano Raimundo Colombo.

Em entrevista ao Notisul ontem, Eduardo Moreira adiantou que viaja hoje a Brasília para verificar a situação. Irredutível, antes de embarcar, deve consultar advogados para definir a sua defesa e manter a decisão do PMDB catarinense. “Então, para que que servem diretórios se não podemos tomar nossas próprias decisões? Na verdade, eles querem que fiquemos a serviço do PT e isso está longe de ocorrer em Santa Catarina”, garantiu.

Em nota veiculada no site oficial do PMDB, o partido afirmou: “O compromisso assumido pela direção nacional e pelo presidente do diretório estadual de Santa Catarina (Pinho Moreira) gerou atitudes do PT em estados onde havia empecilhos à coligação. Atitudes essas que criaram as condições para que a aliança nacional com o PMDB fosse realizada”, diz a nota. No documento, o partido exige uma explicação de Moreira quanto à renúncia a candidatura ao governo no máximo em oito dias.

O deputado federal Edinho Bez (PMDB) apoia a decisão de Eduardo Moreira. “Ele sabe que sozinho ninguém ganha eleição. A iniciativa dele foi inteligente”, analisa.
Divergência à parte, somente no próximo dia 26, data em que ocorre a convenção do partido, os peemedebistas decidirão definitivamente os rumos da campanha de 2010.

Na política, quem aumentar o time
ganha as eleições.

Deputado Edinho Bez, reforçando o seu apoio à polialiança em Santa Catarina

PSDB ainda em cima do muro
A reedição da tríplice aliança PSDB/PMDB/DEM continua sem definição. A intervenção do PMDB nacional no diretório catarinense agitou os tucanos, que esperam as cenas dos próximos capítulos para enfim definir o rumo das eleições 2010. O governador Leonel Pavan (PSDB) espera acompanhar com cautela as diretrizes dos peemedebistas.

Segunda-feira, a executiva do PSDB realiza mais uma reunião para deliberar sobre a convenção do próximo dia 30. O presidente estadual do PSDB, Beto Martins, pretendia transferir a convenção para o dia 26, mas não foi possível devido à falta de prazo legal. Ontem, ele encontrou-se com o presidente nacional da sigla, senador Sérgio Guerra, em Brasília. “Continuamos com carta branca para tomar a decisão que acharmos melhor em Santa Catarina”, enfatiza Beto, que avisa: se houver mudanças por parte do PMDB, a tríplice aliança poderá não ocorrer.