Zahyra Mattar
Tubarão

O início da obra que complementará o projeto da macrodrenagem da margem esquerda do Rio Tubarão, a construção das estações elevatórias, está autorizado pelo Ministério das Cidades. A informação é do gerente de filial de governo da superintendência da Caixa Econômica Federal em Criciúma, Valdonir Estivalet Teixeira. “Se quiser, a prefeitura pode lançar o edital hoje”, confirma.
Com isso, a obra deve ser contratada entre o fim deste mês e o começo de janeiro. Paralelamente, a superintendência aguarda, ainda, o envio de documentos quanto à primeira fase do projeto de contenção de enchentes, o da microdrenagem.

A ordem de serviço foi entregue no dia 14 de outubro, mas ainda há pendências junto à Caixa Econômica. Uma delas é a apresentação da própria ordem de serviço e a Licença Ambiental de Instalação, que a prefeitura ainda não possui.
Estes pedidos foram feitos no dia 19 de outubro e até agora as pendências não foram sanadas. O pedido para obter a licença, junto à Fatma, também não foi feito. Por ora, a vencedora da licitação, a Coenco, de Gravatal, confecciona as galerias pluviais.

Este trabalho deverá seguir até o fim de janeiro. Contudo, se até lá a pendência ambiental não estiver solucionada, nada poderá ser instalado. As duas obras são essenciais para a prevenção de enchentes e, juntas, beneficiarão quase 30% dos habitantes (cerca de 28 mil), nos bairros Humaitá, Dehon, Morrotes, Vila Elisa e Centro.

As obras

1ª etapa – Microdrenagem

• Valor disponibilizado:
R$ 4.435.587,97.

• Valor contratado:
R$ 3.933.318,69.

A obra: Será realizada desde a BR-101 até o Rio Tubarão e deve levar cerca de sete meses para ser concluída. O projeto beneficiará cerca de 28 mil habitantes dos bairros Humaitá, Dehon, Morrotes, Vila Elisa e Centro. A ampliação do sistema de drenagem envolverá a construção de galerias, em uma extensão de 1,49 quilômetro, além da implantação de 15 caixas de ligação e passagem d’água.

2ª etapa – Estações elevatórias (ainda não licitada)

• Valor do contrato:
R$ 499.973,98.

• Ministério das Cidades:
R$ 474.975,28.

• Prefeitura de Tubarão:
R$ 24.998,70.

A obra: Serão construídas três. Duas na avenida Padre Geraldo Spettmann – uma fica na esquina com a avenida Getúlio Vargas (beira-rio – cabeceira da ponte Nereu Ramos) e a segunda no fim da avenida, próximo à BR-101. A terceira fica na comunidade do Pantanal. A expectativa é de que sejam implantadas dentro de três meses. Esta obra beneficiará cerca de oito mil famílias.