No lote 25 só há resquícios de obra. Consórcio responsável tem menos de 30 dias para retomar o serviço.
No lote 25 só há resquícios de obra. Consórcio responsável tem menos de 30 dias para retomar o serviço.

Zahyra Mattar
Tubarão
 

Os gestores do Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit) expediram uma advertência para o consórcio Blokos/Emparsanco/Araguaia, responsável pelas obras do lote 25 na duplicação do trecho sul da BR-101. Ou o grupo retoma os trabalhos, ou será multado. Se mesmo assim não houver reação, o contrato será rescindido.
 

“O fato é que a Blokos já não atende, já não responde aquilo que esperamos há muito tempo. A rescisão só não sai se daqui para frente ocorra um milagre, sei lá, coisa que eu não acredito. Em janeiro isto estará definido. Não pode passar disso. Será o chamamento final. Já começamos a tomar as providências. E o Dnit não voltará atrás na sua decisão”, decreta o superintendente sul do Dnit, engenheiro Avani Aguiar de Sá.
 

Ele confessa que este ano o maior problema, a maior preocupação do Dnit, foi o lote 25. Em onze meses, o consórcio não avançou mais de 10% em relação as obras. “Infelizmente, acho que teremos mesmo que partir para a rescisão, algo que já cogitamos. Na verdade não é nem questão de cogitar. A obrigação do Dnit é fiscalizar e exigir o cumprimento do contrato”, conceitua Avani.
 

Ele explica que isto ainda não foi feito por uma questão legal. O próprio contrato prevê, antes, uma série de sanções e prazos que precisam ser respeitados. “Não podemos chegar lá e dizer tchau. Se eu quebro um contrato, tenho que justificar para os órgãos fiscalizadores o por quê vou trocar um contrato que custava 30% mais barato para firmar outro com preço atualizado. No caso da Blokos, já temos o motivo, não preciso nem detalhar”, resume o superintendente.

Pistas duplas do lote 25 serão interditadas para evitar filas

Rafael Andrade
Laguna
 

O lote de obras 25 na duplicação da BR-101, entre Laguna a Capivari de Baixo, é um dos piores para trafegar em todo os 248 quilômetros do trecho sul da rodovia. Dos 30 quilômetros a serem duplicados no lote, apenas 9,5 quilômetros estão prontos. O problema, nesta época do ano, quando o movimento da BR-101, é que os pequenos trechos duplicados mais atrapalham do que ajudam no fluxo do tráfego.
 

Ontem, isto ficou mais do que evidente. Nos poucos metros com obra finalizada, muitos motoristas transformaram as pistas duplas em triplas, pois utilizavam o acostamento para “ganhar tempo”. Resultado: no fim do trecho duplicado era uma briga para ver quem conseguia entrar primeiro na pista simples.
Para tentar minimizar a falta de obras no lote 25, algumas mudanças serão feitas a partir da próxima sexta-feira, véspera de Natal. Os pontos duplicados entre Laguna e Capivari de Baixo serão interditados e só voltam a ser liberados no dia 3 de janeiro.
 

Desta forma, considera o inspetor da PRF em Tubarão, Teodoto Tonon, o trânsito pode até ficar lento, mas pelo menos não para. “Acredito que isso minimizará o problema das filas, mas é bom adiantar que o motoristas vai ter que ter paciência e muito cuidado, especialmente, neste ponto da BR-101 sul”, indica Tonon.
Ontem, das 16 horas até o fechamento desta página, por volta das 23h50min, as filas, principalmente no sentido sul, era gigante. A viagem de 25 quilômetros entre Tubarão e Laguna era feita em até quatro horas. O normal seriam cerca de 30 a 40 minutos.

Falta efetivo

Ontem, havia três patrulheiros para atender os 70 quilômetros de jurisdição do posto da PRF de Tubarão. "Recebemos várias reclamações do congestionamento em Laguna, mas tivemos que atender outras ocorrências e não conseguimos nos deslocar para auxiliar naquele trecho", lamenta um patrulheiro.

Isto é somente uma prévia do que está por vir nas rodovias da região, principalmente na BR-101, durante a temporada de verão. "Muitos gaúchos procuram Santa Catarina nesta época do ano e vamos sofrer ainda mais com as filas e o aumento do número de acidentes", prevê o agente da Polícia Civil da Delegacia de Trânsito de Tubarão, Alexandre Nunes Freitas.

Acidente com mortes
Próximo à meia-noite de ontem, no quilômetro 254 da BR-101, em Paulo Lopes, o taxista Pedro Vieira, de 45 anos, morador de Garopaba, morreu ao colidir o seu carro, um Palio Weekend, em um caminhão Volvo, de Curitiba. O passageiro do táxi, Marcelo Lisboa Lumertz, 39, também morreu na hora. Uma outra passageira do Palio, Fabiana de Moraes, 36, teve ferimentos graves e foi encaminhada ao Hospital São Camilo, de Imbituba. Todas as vítimas eram de Garopaba.