Em Tubarão, 1,3 mil faturas estão vencidas e 970 consumidores devem ficar sem luz em breve.
Em Tubarão, 1,3 mil faturas estão vencidas e 970 consumidores devem ficar sem luz em breve.

Karen Novochadlo
Tubarão

Na regional da Celesc em Tubarão, existem 14.093 consumidores inadimplentes. A dívida totaliza R$ 2.937 milhões. Como o Notisul antecipou ontem, um mutirão será criado para cortar a energia elétrica e forçar o pagamento da fatura. A expectativa é reaver R$ 2.349 milhões.

A operação inicia na próxima semana. São previstos 200 cortes por dia. Em Tubarão, 1,3 mil faturas estão vencidas, um total de R$ 650 mil. Destes, 970 consumidores devem ficar sem luz. Para realizar a suspensão, a fatura precisa estar vencida há mais de 20 dias.

Garopaba, Tubarão, Imbituba e Laguna são os locais onde a dívida é maior. Juntos somam R$ 2,378 milhões. Em Laguna, apesar de menor que Tubarão, são devidos R$ 620 mil. Quase três mil faturas não foram pagas no município. Em Garopaba, onde o corte de energia será priorizado, a dívida é de R$ 600 mil. Como parte dos devedores são de outro estado, os trabalhos terão prioridade. Imbituba deve cerca de R$ 500 milhões.

Os cortes serão iniciados terça-feira em Tubarão, depois seguirão para Garopaba, Imbituba e Laguna. Nas outras cidades, a ordem será feita de acordo com a quantia devida. Seis equipes foram disponibilizadas para realização dos trabalhos.

O gerente comercial da Celesc, Pedro Paulo Souza, pede que as pessoas antecipem o pagamento das faturas. “Os nossos clientes deveriam evitar esse constrangimento. Não gostamos da política de cortes, contudo, é necessária”, avisa Pedro.

Só na regional de Tubarão
O mutirão de cortes será realizado, por enquanto, apenas na regional de Tubarão. Contudo, a sede em Florianópolis já sinalizou que pretende copiar a política, se os resultados forem positivos, e levá-la para outras regionais.

Os cortes reduzem a inadimplência?
Em 2008, a gerência regional da estatal catarinense em Tubarão fechou o ano com um rombo de R$ 364.148,18. Contudo, em novembro foi realizada uma média de 300 cortes por dia em um mutirão. Na época, o valor devido era de R$ 1,128 milhão.

Tabela de inadimplência

Capivari de Baixo
Faturas inadimplentes: 400
Dívida: R$ 80 mil

Garopaba
Faturas inadimplentes: 2.400
Dívida: R$ 600 mil

Imaruí
Faturas inadimplentes: 535
Dívida: R$ 72 mil

Imbituba
Faturas inadimplentes: 2.200
Dívida: R$ 508 mil

Jaguaruna
Faturas inadimplentes: 2379
Dívida: R$ 203 mil

Laguna
Faturas inadimplentes: 2.998
Dívida: R$ 620 mil

Orleans
Faturas inadimplentes: 561
Dívida: R$ 99 mil

Pedras Grandes
Faturas inadimplentes: 150
Dívida: R$ 25 mil

Sangão
Faturas inadimplentes: 200
Dívida: R$ 80 mil

Tubarão
Faturas inadimplentes: 2.270
Dívida: R$ 650 mil

Total
Faturas inadimplentes: 14.093
Dívida: R$ 2.937 milhões