Zahyra Mattar
Tubarão

A aprovação do relatório produzido pela Comissão Especial de Inquérito (CEI), instaurada pela câmara de Tubarão a fim de apurar as denúncias de mau uso de verba pública que pesam sobre o vereador Geraldo Pereira (PMDB), o Jarrão, ficou por isso mesmo.

Na semana passada, o presidente da casa, João Batista de Andrade (PSDB), não detalhou quais os próximos passos a serem dados. Ontem, na sessão, o assunto “passou batido”. Os pareceres jurídicos, que teoricamente norteariam qualquer decisão daqui para frente, são, ainda, desconhecidos
Entre as recomendações da CEI, está a abertura da Comissão Processante, conforme o Notisul adiantou sexta-feira. A instauração do grupo que terá a missão de imputar quais as sanções a Jarrão deverá ocorrer. A dúvida está em quem será o vereador corajoso de levar o caso adiante.

A comissão entra em curso se houver denúncia formal quanto à quebra de decoro parlamentar. Isto, inclusive, foi uma das sugestões da CEI, mas Batista quer que este passo seja dado por um colega. Enquanto nada é resolvido, a casa fica à mercê de comentários, alguns até maldosos, por parte da população, que cobra resultados práticos.