Carolina Carradore
Tubarão

A viabilidade do projeto de abertura da avenida Rodovalho, no centro de Tubarão, vence mais uma fase. A prefeitura entrou em acordo com a construtora Barbosa Moura, que vendeu parte do terreno na esquina da avenida Marcolino Martins Cabral, local onde morava a família Feuerschuette.

Segundo o secretário-adjunto de indústria e comércio da prefeitura, Alberto Botega, foi negociado R$ 300 mil, em 30 parcelas de R$ 10 mil. “Como foi desapropriado cerca de dez metros do terreno, emprestamos oito metros para a empresa utilizar como canteiro de obras”, explica o adjunto. A empresa constroi um edifício de dez andares no local.

Falta ainda a desapropriação de outra parte do terreno para a abertura da Rodovalho. As tratativas ocorrem com família Caporal, proprietária do trecho onde funcionava uma clínica de ultrassom, em frente da praça Walter Zumblick (do Centro Municipal de Cultura).

A abertura da avenida era prevista para iniciar ainda esse ano, mas como o processo de desapropriação demorou mais do que o esperado, Botega acredita que o projeto será colocado em prática somente em maio do próximo ano.

Com a abertura da Rodovalho, o trânsito que se torna lento nas imediações da praça Walter Zumblick, principalmente em horários de pico, deve melhorar, já que os motoristas poderão seguir em direção a Vila Moema e bairro Aeroporto sem a necessidade de trafegarem pela avenida Marcolino Martins Cabral.