Amanda Menger
Tubarão

Celeridade é palavra de ordem na secretaria de estado da infra-estrutura. A intenção é acelerar o que for possível para que a obra da segunda etapa do Aeroporto Regional Sul, em Jaguaruna, Humberto Ghizzo Bortoluzzi inicie ainda este ano. É preciso garantir os recursos reservados neste orçamento: R$ 5 milhões. Para 2009, a previsão orçamentária é de R$ 1 milhão, o que totaliza os R$ 6 milhões estimados para a realização da obra.

Uma comissão formada pelo secretário de desenvolvimento regional em Tubarão, César Damiani, o diretor de Assuntos Aeroviários da secretaria de infra-estrutura, Dilney Chaves Cabral Filho e os presidentes das três Associações Empresariais do sul catarinense (Tubarão, Araranguá e Criciúma), Eduardo Nunes, Karoly Agardi e Santos Longaretti, respectivamente, esteve reunida ontem com o conselheiro relator do Tribunal de Contas do Estado (TCE), César Filomeno Fontes. Eles apresentaram as contra-razões para as cinco irregularidades apontadas pelo Tribunal no edital de licitação do aeroporto.

“Temos que resolver os problemas que surgiram para que a obra comece este ano. Por isso, ao apresentarmos as justificativas, pedimos que o TCE avalie o mais rápido possível. Temos que acelerar o que for possível”, ressalta Damiani.
Segundo o TCE, os documentos apresentados pela comissão serão analisados pela área técnica do tribunal. Porém, não há um prazo definido para que isso ocorra. Este parecer será julgado pelos conselheiros e poderá recomendar a continuidade da licitação, novas alterações ou ainda o cancelamento do processo.

Com o resultado, a comissão de licitações da secretaria de infra-estrutura irá pronunciar-se sobre o reexame do recurso administrativo feito pela empreiteira Engeton, de Turvo. A empreiteira foi desabilitada durante a fase de apresentação de documentos, por não cumprir um item do edital referente à caixaria de madeira utilizada para as formas de concreto.