Danilo de Faria Braga é o primeiro caso no sul catarinense.
Danilo de Faria Braga é o primeiro caso no sul catarinense.

Zahyra Mattar
Tubarão

O jovem tubaronense Danilo de Faria Braga, 15 anos, é um adolescente estudioso, trabalhador, só faz trazer orgulho para a família. Pretende prestar vestibular daqui a três anos. Ainda não sabe exatamente qual o curso. Ainda que ‘novinho’, Danilo participa de um programa de estágio em Tubarão e já consegue um dinheirinho para não ter que pedir roupas novas, por exemplo, para o pai.

Toda esta ânsia de viver de Danilo, por pouco, não termina prematuramente. Há 15 dias, a família estava na praia de Jaguaruna. Danilo estava bem, brincando com todos, como de costume. De repente, sentiu uma dor forte nas costas.

“Ai mãe, acho que dei um mau jeito aqui”, reclamou. A partir daí, Danilo começou a desenvolver sintomas parecidos com uma forte gripe.
O seu pai, Ariovaldo Rosa Braga, o levou ao posto de saúde em Jaguaruna e nada grave foi detectado. Até que Danilo urinou sangue. Rapidamente, a família procurou a emergência do Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão (eles residem no bairro Passagem). Após dois dias internado, Danilo foi transferido em estado delicado para a UTI, onde está há nove dias.

A princípio, acreditava-se que o adolescente estava com pedras nos rins. Uma investigação mais profunda constatou: ele contraiu a leptospirose na forma mais aguda. Agora, o rapaz está bem e não corre perigo de morte. Danilo está em coma induzido, com um dreno em cada pulmão, os órgãos mais afetados pela doença.