Está nos planos do prefeito de Jaguaruna, Inimar Felisbino Duarte, manter a passagem de madeira, ao lado da nova. Conforme o projeto, a ponte de concreto em Congonhas terá 42 metros de extensão com oito de largura.
Está nos planos do prefeito de Jaguaruna, Inimar Felisbino Duarte, manter a passagem de madeira, ao lado da nova. Conforme o projeto, a ponte de concreto em Congonhas terá 42 metros de extensão com oito de largura.

Zahyra Mattar
Tubarão

Doze empresas apresentaram, nesta sexta-feira, as propostas para a construção da futura ponte de concreto sobre o Rio Congonhas, na divisa entre Tubarão e Jaguaruna. Esta primeira fase visa a habilitação das interessadas. O resultado é previsto para ser divulgado na próxima sexta-feira.

No mesmo dia, será feita a abertura das propostas de preço. Vence a que apresentar o menor. Caso não haja nenhuma contestação por parte das participantes e os prazos originais sejam mantidos, a projeção do prefeito de Jaguaruna, Inimar Felisbino Duarte (PMDB), é homologar no dia 7 do próximo mês. A ordem de serviço está prevista para ser assinada no dia seguinte.

“Estes são os capítulos finais desta novela. Esta ponte fez muitos dos meus cabelinhos ficarem brancos antes do tempo”, desabafa o prefeito, em tom divertido. Inimar também confirma que está em seus planos manter a passagem de madeira, ao lado da nova.

Conforme o projeto, a nova ponte de Congonhas terá 42 metros de extensão com oito de largura. A travessia também contará com uma faixa de rolamento e passagem para pedestres.
Como este é um ano eleitoral, os prazos devem ser cumpridos à risca. O primeiro repasse do convênio com o estado precisa ser feito, obrigatoriamente, até o dia 7 de julho. Caso contrário, o município só pode voltar a receber a verba após 15 de novembro.
A obra está avaliada em aproximadamente R$ 900 mil. Conforme o convênio, as prefeituras de Tubarão e Jaguaruna ficam responsáveis pelo repasse de R$ 150 mil cada. Já o governo do estado entrará com a maior parte: R$ 600 mil.

Uma ponte, uma saga

Desde 2006, as comunidades de Congonhas e Jabuticabeira, bairros de Tubarão e Jaguaruna, respectivamente, que fazem os limites entre as duas cidades, reivindicam a construção de uma nova ponte sobre o Rio Congonhas.
A ordem de serviço chegou a ser assinada em 2008. Porém, a obra estava atrelada a outra, a ponte de Torneiro, na divisa de Jaguaruna com Içara. A prefeitura de Tubarão chegou a repassar R$ 50 mil para Jaguaruna. O trabalho começou e parou logo em seguida. O dinheiro do convênio foi devolvido.

Em 12 de setembro de 2009, engenheiros da prefeitura de Tubarão interditaram a ponte. O motivo era o estado precário da passagem. Conforme um laudo, não existia possibilidade de reformar a travessia de madeira.
Barreiras foram colocadas pelo lado tubaronense, mas foram retiradas pelos moradores e usuários da estrada. Em janeiro deste ano, o empresário Beto Lima caiu da travessia.

Passava de bicicleta quando a roda ficou presa em uma madeira podre. Foi quando o assunto ganhou outro tom. Após um novo laudo realizado pela Defesa Civil de Tubarão, a travessia voltou a ser interditada em 25 de janeiro.
Depois de um incêndio, a ponte foi reformada e voltou a ser liberada em 17 de fevereiro. Agora, a nova licitação é feita para que, enfim, seja construída a ponte de concreto.

A ‘bruxa’ da Jabuticabeira

Enquanto o processo licitatório para a ponte de Congonhas segue, Inimar já organiza o cronograma da secretaria de obras para reformar a passagem de Jabuticabeira. As placas de sinalização já estão instaladas. Nas cabeceiras, foram estaqueados troncos para evitar que os motoristas caiam no rio. “Vou colocar quatro novas estacas para dar melhor sustentação da ponte e colocar os corrimãos. Isto só não foi feito porque o bate-estaca está em outra obra”, explica Inimar.
A previsão é que tudo esteja disponível em até 15 dias, quando o trabalho em Jabuticabeira será iniciado. “Isso será o suficiente para espantar a bruxa da Jabuticabeira. Pelo amor de Deus. O que foi isso?”, indaga o prefeito, em lembrança aos três acidentes, um deles com morte, ocorridos este mês na localidade.

Reforma começa em 15 dias.