Volume de obras em andamento no trecho do lote 25, entre Laguna e Capivari de Baixo, é bastante intenso. Existem pelo menos seis frente de trabalho diariamente
Volume de obras em andamento no trecho do lote 25, entre Laguna e Capivari de Baixo, é bastante intenso. Existem pelo menos seis frente de trabalho diariamente

Zahyra Mattar
Tubarão

 
Mais quatro quilômetros de pistas duplicadas foram liberados na BR-101. Agora, em termos gerais, faltam 27 quilômetros para finalizar 100% das pistas principais. O valor é quase a mesma distância entre Tubarão e Laguna. Muito? Pouco? Depende da ótica analisada. O fato é que já esteve bem mais longe.
 
O último relatório liberado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit),  referente a março, mostra que o ritmo das obras no momento é satisfatório. Além disso, observa-se ainda que a meta, especialmente nos lotes 29 (de Araranguá a Sombrio) e 25 (entre Laguna e Capivari de Baixo), é finalizar primeiro as obras-de-arte especiais (OAEs).
 
Quatro dos nove lotes de obras estão concluídos, três em fase de acabamento (pistas 100% duplicadas e liberadas ao tráfego) e dois ainda têm serviços de grande volume para ser executados. No lote 25, ainda restam 5,15 quilômetros de terraplanagem, 6,22 quilômetros de pavimentação. Três das oito OAEs estão prontas e liberadas. 
 
No momento, o consórcio Araguaia/Blokos/Emparsanco atua na confecção de quatro viadutos (o duplo de acesso a Capivari e três simples, na Cidade de Anita). Também são abertas as novas pistas na comunidade de Bananal, em Laguna. O outro lote ainda com grande volume de obras é o 29. 
 
O consórcio Construcap/Modern/Ferreira Guedes atua na finalização do contorno de Araranguá, na confecção de cinco viadutos (acessos à praia da Caçamba, a Ermo, a Campo D’Água e a Sombrio), pavimentação de dois trechos (praia da Caçamba e acesso a Sombrio) e terraplanagem do acesso para a praia da Caçamba.
 
 
Obras remanescentes
 
Túnel do morro do Formigão (Tubarão)
• A licitação foi considerada fracassada após uma série de recursos ter sido impetrada pelas duas únicas concorrentes – a Serveng-Civilsan e o consórcio Sulcatarinense/Convap -, e todos serem negados pelo Dnit.
• Ficou verificado que ambas possuíam problemas com documentação e não poderiam seguir na concorrência. Como o projeto foi feito há mais de um ano e meio, é necessário que os valores sejam atualizados para que o novo edital seja lançado.
• Não há informação se isso já foi feito. O túnel no Morro do Formigão é o menor na duplicação: terá 900 metros e estava orçado em R$ 57.308.398,33.
 
Transposição de Laranjeiras (Laguna)
• A expectativa é que a ordem de serviço para o início dos trabalhos seja entregue neste ano. A licitação da ponte teve valor de saída de R$ 605.452.584,97. Foi vencida pelo consórcio Camargo Corrêa/M. Martins/Construbase, pelo preço de R$ 597.190.345,20.
 
Pistas complementares (Laguna)
• A licitação foi feita, mas ainda não está homologada. A concorrência teve preço de saída de R$ 71.312.586,69. A que apresentou o menor valor foi a JM Terraplenagens e Construções, de Brasília: R$ 58.636.738,70.
 
Túnel do Morro dos Cavalos (Palhoça)
• Ainda em fase de projeto, a obra enfrenta grande resistência porque passa por dentro de supostas áreas indígenas. Não existe um orçamento ainda e nem prazo de quando será licitada.
 
Supervisão de obras
• São mais três concorrências públicas. Houve uma tentativa de fazer uma só. A mesma empresa atuaria simultaneamente nas quatro obras (os dois túneis, ponte e pistas complementares). A Associação Brasileira de Empresas de Consultoria de Infraestrutura em Transportes (ABCTrans) contestou e o edital foi revogado. Também não existe informação de quando as concorrências serão lançadas.