Zahyra Mattar
Tubarão

A maior parcela da população economicamente ativa de Tubarão ganha entre um e dois salários mínimos. São 25.653 tubaronenses que suam a camisa para sustentar a família com uma renda que não passa de R$ 1.244,00 por mês. O dado faz parte do Censo 2010, realizado pelo IBGE e divulgado nesta sexta-feira.

Ainda conforme o levantamento, 14. 329 pessoas vivem com um salário mínimo (R$ 622,00). Também surpreende a quantidade de pessoas que disse não ter rendimento nenhum: 20.059 tubaronenses. O número equivale a 23,31% da população. Outras 10.335 pessoas recebem entre dois e três salários mínimos.

Os considerados mais abastados são visivelmente minoria: 1.633 pessoas ganham de dez a 20 salários mínimos, e 5.322 tubaronenses entre cinco e dez salários. Ainda que o ganho seja pequeno para a maioria, os dados do IBGE revelam também que existem 51.224 pessoas economicamente ativas. Deste total, 37.827 pessoas estão empregadas. A maior parte com carteira de trabalho assinada: 31.003 pessoas.
Por outro lado, existe um dado relativamente grande de pessoas empregadas, mas que não desfrutam dos benefícios trabalhistas porque não têm registro: são 5.092 tubaronenses nesta condição.

Taxa de mortalidade cai e índice de nascimentos também

O resultado do Censo Demográfico 2010, divulgado nesta sexta-feira pelo IBGE, mostra que a taxa brasileira de mortalidade infantil diminuiu nos últimos dez anos: caiu de 29,7 para 15,6 a cada mil nascidas vivas. Um decréscimo de 47,6%.
Por outro lado, a taxa de fecundidade no Brasil também caiu. Em 2000, eram 2,38 filhos por mulher. Em 2010, este valor foi de 1,90. Conforme o IBGE, o número está abaixo do chamado nível de reposição (2,1 filhos por mulher), que garante a substituição das gerações.

Santa Catarina é o estado com maior número de crianças na sala de aula

Outro dado interessante, versa sobre a escolaridade. Desde 2010, são menos jovens fora das salas de aula e o percentual de pessoas com curso superior completo quase dobrou.
Santa Catarina é o estado com o menor número de crianças entre 6 e 14 anos fora da escola. A média nacional indica que 3,1% dos menores na mesma faixa etária não frequentavam a escola em 2010 (966 mil pessoas).
Por outro lado, no que diz respeito à faixa etária de 15 a 17 anos, o cenário na educação em Santa Catarina foi menos animador. O percentual não chegou ao topo do ranking da evasão escolar entre os estados, mas atingiu 19,8% dos moradores nestas idades.

Mercado de trabalho cor-de-rosa

O mercado de trabalho está mais cor-de-rosa no comparativo do Censo 2000 com o levantamento feito em 2010. Mulheres tiveram ganho real de 13,5% no rendimento. Para os homens, o percentual foi de 4,1%.
Enquanto o rendimento médio real dos homens passou de R$ 1.450 para R$ 1.510, de 2000 para 2010, o das mulheres foi de R$ 982,00 para R$ 1.115,00. No geral, o rendimento médio mensal foi de R$ 1.345, contra R$ 1.275 em 2000. Um ganho real de 5,5%.

Em Tubarão

Rendimento mensal
• Até 1 salário mínimo: 14. 329 pessoas.
• Entre 1 a 2 salários mínimos: 25.653 pessoas.
• Entre 2 a 3 salários mínimos: 10.335 pessoas.
• Entre 3 a 5 salários mínimos: 7.912 pessoas.
• Entre 5 a 10 salários mínimos: 5.322 pessoas.
• Entre 10 a 20 salários mínimos: 1.633 pessoas.
• Mais de 20 salários mínimos: 776 pessoas.
• Sem rendimento: 20.059 pessoas.

Emprego
• Pessoas economicamente ativas: 52.920.
• Pessoas economicamente ativas ocupadas: 51.224.
• Pessoas economicamente ativas desocupadas: 1.696.
• Pessoas não economicamente ativas: 33.098.

Mercado de trabalho
• Pessoas empregadas: 37.827.
• Pessoas empregadas com carteira assinada: 31.003.
• Militares e funcionários públicos estatutários: 1.733.
• Pessoas empregadas sem carteira assinada: 5.092.
• Autônomos: 9.867.
• Empregadores: 2.448.
• Pessoas não remuneradas: 501.
• Trabalhadores na produção para o próprio consumo: 581.

Fonte: IBGE/Censo 2010.