A familiar de uma idosa que vive no Abrigo dos Velhinhos, no bairro São João Margem Esquerda, em Tubarão, recebeu uma mensagem por meio do WhatsApp, que ela tinha até esta quarta-feira (28), para tirar a interna da casa de repouso. A mensagem foi enviada por uma funcionária da instituição. A equipe de redação do Notisul buscou contato com servidora por telefone. No entanto, por volta das 16h40, desta quinta-feira (29), ela não estava mais na instituição.

O Notisul teve acesso ao conteúdo. Ele será divulgado, mas com nomes fictícios. “Oi, Maria! É a Ana do Abrigo dos Velhinhos. Acho que não estais podendo me atender agora, no momento, né? É… tu poderias vir aqui no abrigo que eu quero te entregar o cartão da tua mãe, como tu pediu para fazer a prova de vida? Aí, tu já traz uma condução, que daí tu já vai levar a tua mãe. Tens dois dias para vir pegar o cartão e para levara tua mãe para casa como tu querias, tá bom? Já foi conversado com o Creas e advogado. Tá tudo certinho! Então tu leva o cartão para fazer a prova de vida e já leva a tua mãe, tá bom? Eu fico no teu aguardo. Obrigada, beijo e tchau!”, explicou a funcionária do Abrigo em áudio.

A interna não vai mais sair do local. Um grupo de advogados fizeram valer o direito dos idosos e desta forma, a mulher continua assistida pela instituição. Segundo Maria, a mensagem foi ameaçadora. “Neste período de pandemia mandava mensagens para saber o estado de saúde da minha mãe. Queria notícias. Sempre diziam que estava tudo bem. Minha mãe caiu, foi parar no hospital. Infelizmente trabalho o dia inteiro e não tenho como ficar com ela. Minha mãe não pode ficar sozinha. Fui questionada por uma representante do Conselho do Idoso se denunciei o Abrigo para o Notisul. A representante do conselho pontuou que o local é uma instituição e a direção só deixará minha mãe no lugar se quiser”, lamenta a familiar de uma idosa.

A equipe de redação do Notisul ligou para o Conselho dos Idosos, localizado no centro de Tubarão, e buscou contato com a funcionária mencionada, entretanto, ela trabalha no local no período matutino. A redação do Notisul também buscou contato com os representantes do Asilo. O maior e mais necessário questionamento seria qual o motivo da liberação da idosa? A funcionária do setor de Relações Humanas (RH), que é assistente da direção, não quis responder o questionamento e afirmou que quem poderia responder  seria a direção. Aguardamos a resposta por mais de uma hora, mas ela não foi sanada pelos representantes do Abrigo.

O Notisul passou a divulgar matérias sobre os casos de maus-tratos no Abrigo dos Velhinhos, na última segunda-feira. Já nesta quinta-feira (29), trouxemos informações sobre o posicionamento da direção do Abrigo, que afirmou que não havia negligência e que contava com estágios e colaboração de dois cursos da Unisul de Tubarão. Porém, a informação não foi confirmada pela direção dos dois cursos.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul