15 de outubro é o Dia do Professor. Nesta data, ocorrem diversas homenagens aos mestres e mestras que a cada dia, independentemente das adversidades, saem de suas casas para levar o melhor de si aos alunos.
 
Este “melhor” precisa ser constantemente aperfeiçoado para que possam fazer  frente, com possibilidades de êxito, aos novos e cada vez mais complexos desafios da sociedade:
 
1 – A pressão do mercado de trabalho, da sociedade  e das famílias faz com que tenham que ensinar também àqueles que não têm vontade ou ainda não sentiram a necessidade de estudar; 
 
2 – A inclusão exige que trabalhem também com alunos portadores de deficiências, até poucos tempos relegados pelas escolas de ensino regular;
 
3 – As novas tecnologias e formas de produção e de gestão da economia exigem que reorganizem conhecimentos e trabalhos para contribuírem, desenvolvendo nos alunos as habilidades, competências e valores adequados;
 
4 – Estas mesmas tecnologias lhes tiraram o monopólio da informação e fazem duríssima concorrência: exigem que redefinam suas funções;
 
5 – A ausência dos pais na educação dos filhos impele-os a suprirem tal lacuna, em lugar de apenas complementá-la, se quiserem ser respeitados. Do contrário, correm o risco de agressão, tendo que buscar ajuda na rede de apoio, que dificilmente funciona.
 
6 – A crise ética que assola o país exige, cada vez mais, que priorizem, na relação com os alunos, o “saber ser” e o “saber conviver”, mesmo com o “saber” e o “saber fazer” estando longe do necessário.
 
7 – A frequente ausência de condições de trabalho, de capacitações, de meritocracia, de salários e de  carreiras dignas, coloca-nos, também  frequentemente, em movimentos reivindicatórios, quando não, paredistas.
 
O professor e a professora estão expostos e são  avaliados, a cada instante, por alunos, pais, colegas, superiores, enfim, por toda a sociedade.
 
São reconhecidos e saudados onde quer que estejam: na escola, na rua, na praia, no clube, na igreja, no supermercado, etc.
Influenciam, são imitados, admirados ou criticados, respeitados ou desconsiderados pelo que sabem e pelo que não sabem, pelo que dizem e como dizem, pelo que fazem e como fazem, pelas oportunidades de aprendizagem que proporcionam ou pela mesmice, pela postura e pelas atitudes ou pela falta delas.
 
Ser professor(a), enfim, é por 24 horas diárias. Parabéns professor(a)!