Começamos a semana com “eclipse ecológico”, em muitas regiões do Brasil, cidades como São Paulo e Curitiba tiveram o céu encoberto por nuvens pretas, fazendo o dia virar noite. Resultado de uma série de queimadas que está acontecendo na Amazônia desde a última semana. Vi muita, mas muita gente mesmo compartilhando em suas redes sociais sobre fim do “pulmão do mundo”. Bem… preciso dizer: se continuarmos no ritmo que as coisas andam vai, sim, haver um fim, breve. Todos os anos ocorrem queimadas na região em questão, e segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Brasil vive a maior onda de queimadas dos últimos cinco anos. O mais triste é que na maioria das vezes o fogo tem origem de ações predatórias de fazendeiros, em busca de expansão das áreas de pastagem ou para plantações de soja. A temporada de seca entre agosto e setembro contribui para o alastramento da tragédia. E nós vivenciamos mais uma “gangrena” decorrente do famoso capitalismo selvagem o qual nos encontramos. Existem “N” fatores que nos levam a esses declínios, mas creio que os maiores sejam a falta de políticas ambientais pelo governo e nossa lacuna de autoconsciência. Se eu fosse escolher uma trilha sonora para embalar nos embalar este mês, certamente seria Tom Jobim. Utilizei seus versos na minha última coluna, e volto a usar.

‘Borzeguim’ -Tom Jobim
Deixa o mato crescer em paz
Deixa o mato crescer
Deixa o mato
Não quero fogo, quero água
(deixa o mato crescer em paz)

Assembleia
“O Sindicato dos Ferroviários convida os aposentados e pensionistas da complementação, para uma reunião na sala de assembleia da entidade, às 15h de hoje. Vamos resolver a contraproposta da Valec, para os reajustes dos anos de 2018 e 2019. Não deixe de participar, sua presença é muito importante”. Jeronimo Miranda Netto – Presidente.