Certamente você já deve ter ouvido a expressão “adaptar-se ou morrer”. Mas já parou para refletir qual será o seu significado nesta década de 2020 em que viveremos uma transformação tecnológica que irá superar tudo que já vimos e vivenciamos até agora?

Embora seja muito cedo ainda para afirmar qual será o protagonismo do ser humano neste novo mundo, uma coisa é certa, precisaremos nos adaptar em um mundo em que as máquinas passarão a fazer parte do nosso dia-a-dia de uma forma que parecerá natural conversar com uma assistente virtual, ou até mesmo ser atendido por um robô, como já acontece no restaurante Foodom em Guangzhou na China, onde dezenas de robôs coordenados por inteligência artificial fazem de tudo, desde receber fornecedores e organizar o estoque, atender clientes, fazer drinks e pratos, servir as mesas e cuidar também das logísticas de delivery e limpeza.

Em termos gerais, estamos nos encaminhando para o que os cientistas definem como “singularidade tecnológica”, em que o crescimento tecnológico desenfreado da inteligência artificial poderá levar a mudanças irreversíveis no mundo, pois as máquinas passaram a serem “superinteligentes” capazes de sozinhas criarem novas máquinas ainda mais inteligentes. 

Neste sentido, propositalmente nas últimas duas semanas fizemos a indicação de livros e filmes de ficção científica que retratam “mundos” em que as máquinas com inteligência artificial e em alguns casos até completamente autônomas se fazem presentes. Há algumas estórias em que tudo ocorre harmonicamente, enquanto outras, as máquinas passam a dominar tudo que acontece. 

Caberá a nós decidirmos qual caminho queremos seguir, pois há possibilidade de existir um momento em que os próprios dispositivos que projetamos e construímos, cheguem a “conclusão” que o mal do planeta somos nós, os humanos.

E você já está preparado para viver neste novo mundo? O entendimento da tecnologia, desde como ela funciona até sua programação será imprescindível, e estas competências você poderá adquirir por meio de cursos rápidos, cursos técnicos ou estudos dirigidos. 

Voltaremos a explorar novamente este tema ao longo do ano, mas até lá, deixei nos comentários qual a sua opinião sobre este tema.