Maycon Vianna
Gravatal

Os investigadores da Polícia Civil da região começaram ontem a procurar um suspeito de ter estuprado uma mulher de 34 anos, no último sábado, em Gravatal. O crime está cercado de mistérios. Nem a PM nem a Polícia Civil sabem ao certo o que ocorreu.

Segundo informações da mulher, o seu companheiro havia saído de casa para encontrar com uns amigos. Foi quando um homem encapuzado invadiu a empresa e ameaçou a mulher com uma faca. Como percebeu que não havia ninguém no local, ele aproveitou-se e cometeu o abuso sexual. O estuprador sumiu sem deixar pistas. Depois da violência, o marido retornou para casa e o casal foi denunciar o estupro à PM.

Como ela ficou muito nervosa e transtornada com a violência sexual, não conseguiu passar as características do criminoso. Ela ainda foi encaminhada ao Instituto Geral de Perícias (IGP) em Tubarão para realizar exame de corpo e delito. O resultado ainda não ficou pronto.

De acordo com o delegado de Armazém, Giovani Limas Fiorani, o boletim de ocorrência não foi registrado, o que dificulta o trabalho de investigação. Já os policiais militares de Gravatal, confirmam que receberam um telefonema do marido da vítima e foram até o local. Eles ainda realizaram algumas rondas para tentar prender o suspeito. Nada foi constatado. Se o homem acusado de estuprar a mulher de 34 anos for preso, responderá por crime de violência sexual (artigo 234 do Código Penal) e pode pegar até 30 anos de prisão.

No domingo, uma menina de 13 anos foi violentada por um homem de 33 anos, que a beijou à força e tocou em suas partes íntimas. Ele foi preso em flagrante e levado ao Presídio Regional de Tubarão.