Rafael Andrade
Tubarão

Por volta da 1h30min de ontem, Marli de Souza Amorin, 20 anos, foi assassinada com um tiro na cabeça, em Tubarão. O homicídio ocorreu na rua Tiradentes, Morrotes.
Na hora do crime, Marli utilizava um capacete. Mesmo com o utilitário, a bala entrou pelo lado esquerdo por baixo da orelha, atravessou a cabeça e saiu pela região parietal do lado direito, alojando-se na outra lateral do capacete. O projétil perfurou a região da testa e fez com que ela perdesse massa encefálica. O assassino usou um revólver calibre 38.

Minutos depois do fato, a Polícia Militar e o socorro foram acionados, porém, Marli teve morte instantânea. Moradores da região informaram que ouviram dois disparos. Um deles atingiu Marli.
Até o fechamento desta edição, nenhum suspeito havia sido detido. O Núcleo de Investigações Criminais (NIC) de Tubarão trabalha no caso. O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto Geral de Perícias (IGP) e, posteriormente, liberado para a família.

Ela estava foragida desde o dia 6 de julho do Presídio Regional de Tubarão, onde cumpria pena por tráfico de drogas, associação ao tráfico e porte ilegal de arma de fogo. Na fuga, seis detentas conseguiram a ‘liberdade’. Fizeram um buraco no muro com um martelo. Quatro foram recapturadas, Marli morreu e Maristela Mariano Zin continua foragida.

Foi o quinto homicídio registrado este mês na Amurel. As outras quatro vítimas são Bento de Souza, 56 anos, morto no dia 13, em Pedras Grandes; Alexsandro Fonseca de Lima, 23 anos, no dia 22, em Sangão; Luis Fernando Angioletti, 32 anos, assassinado em Imbituba, dia 23; e Eduardo do Nascimento da Silva Júnior, 26 anos, morto na última sexta-feira em Tubarão.