Juliana Pereira de Oliveira, vereadora em Tigrinhos, Oeste Catarinense, e mais três homens teriam matado um idoso em um sítio que já pertenceu à vereadora. O crime ocorreu nos dias 3 e 4 de fevereiro.

Ela e mais um dos denunciados foram presos preventivamente neste sábado, 2, a pedido do Ministério Público de Santa Catarina. Os dois também foram denunciados por falsa denúncia.

Crime

Juliana e um dos homens teriam ido até a Delegacia de Polícia de Tigrinhos e registrado uma ocorrência em que afirmavam que a vítima, Osmar Alves Pereira, morador do sítio que ela afirmava ser dela, se recusava a desocupar o imóvel e havia a ameaçado com um facão quando ela foi até o local para pedir que ele abandonasse a casa. Mas essa ameaça nunca foi feita, conforme comprovaram as investigações.

O sítio não pertencia a vereadora há cerca de seis meses, quando foram entregues a uma cooperativa de crédito como pagamento de uma dívida com a instituição financeira. Apesar disso, Juliana teria exigido que o ocupante do imóvel, que foi seu inquilino, continuasse pagando aluguel ou desocupasse o imóvel por falta de pagamento. O imóvel já não pertencia mais à denunciada, e o morador planejava adquirir junto da cooperativa de crédito.

No dia seguinte, 4 de fevereiro, a vereadora e três homens foram em dois carros até o local e mataram o morador com cinco tiros. Os tiros teriam sido feitos por um dos homens que acompanhou Juliana.

Juliana foi denunciada por homicídio duplamente qualificado e por tentativa de denunciação caluniosa.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: O Município