PM ficou de prontidão na frente de vários colégios eleitorais da região, como este no bairro Oficinas, em Tubarão  -  Foto:Rafael Andrade/Notisul
PM ficou de prontidão na frente de vários colégios eleitorais da região, como este no bairro Oficinas, em Tubarão - Foto:Rafael Andrade/Notisul

Rafael Andrade
Tubarão

Vários municípios da região tiveram registros de ocorrência pela Polícia Militar, que divulgou uma lista a qual detalha os procedimentos adotados. Eleitores chegaram a ser presos, mas pagaram fiança e, até a tarde de ontem, ninguém continuava recluso. O que mais chamou a atenção das autoridades é que muitas brigas ocorreram em cidades menores, como Pescaria, Treze de Maio, Imaruí e, principalmente em Jaguaruna, onde a intenção de torcida para o chamado vermelho e azul, que tradicionalmente divide a preferência do eleitoraddo local.

Laguna, Imbituba e Tubarão também registraram ocorrências policiais neste pleito. O processo eleitoral manteve-se de maneira tranquila em Pescaria Brava, e também na Cidade Juliana de uma maneira geral, onde o policiamento foi realizado em forma de rondas motorizadas e ostensivas nos locais de votação, contando com todo o efetivo da Guarnição Especial de Laguna (Gelg) e o reforço da Polícia Militar Ambiental de Laguna, sob supervisão do comandante da Unidade, tenente-coronel Jefer Francisco Fernandes.

“Todo o trabalho desenvolvido e a operacionalização do que planejamos, foi bem-sucedida, devido ao empenho dos policiais militares que mantiveram sua postura e comprometimento com o processo, seguindo as orientações de atuação adotadas durante as eleições. A presença da PM nas ruas trouxe segurança e garantiu que cada cidadão pudesse exercer seu direito ao voto sem transtornos,” observa o comandante Jefer.

No total no Estado, 112 fatos foram computados pela Polícia Militar. Foram 136 eleitores flagrados cometendo crimes eleitorais, além de 22 candidatos. Foram confeccionados 61 Boletins de Ocorrência PA (Prisão e Apreensão em Flagrante), 32 BO TC (Termo Circunstanciado) e 12 BO COP (Comunicação Policial).

Candidato foi preso em Imbituba por ameaçar PM
Em Imbituba, também no dia do pleito, por volta das 10h45mim, no Colégio Gracinda Augusta Machado, na rua Nove de Julho, bairro Nova Brasilia, um policial militar foi abordado por um candidato a vereador solicitando que fosse retirada uma placa de propaganda partidária fixada em automóvel, estacionado no pátio de uma residência, em frente ao local de votação. A PM consultou uma técnica judiciária do Cartório Eleitoral local, que pediu para aguardar um posicionamento judicial. Porém, o candidato passou a exigir a retirada imediata da propaganda, proferindo frases como: “quer te aparecer? Tu sabe quem eu sou? Sabe do que sou capaz?”. O candidato foi preso em flagrante por ameaça e conduzido ao DP de Imbituba.

Em Laguna, um solicitante informou que o presidente de um partido político estava parando eleitores e entregando santinhos. Ele foi  abordado pela PM e foram encontrados R$ 82,00 e 29 santinhos, dezenove de uma candidata a vereadora e nove santinhos de uma candidatura à majoritária. Em contato com o juiz eleitoral, informou para conduzir ambos à delegacia, e o solicitante apresentar o vídeo ao delegado.

Também na Cidade Juliana, no dia 2 de outubro (este domingo), por volta das 1h30min, a PM foi informada que houve disparo de arma de fogo e constatou uma discussão devido às eleições. Um revólver calibre 38 foi apreendido de dentro de um carro. O dono disse que sacou sua arma após pessoas investirem contra sua pessoa, um suposto crime eleitoral. Ele conduzido à delegacia por posse de arma, pagou fiança e foi liberado.