Tubarão
 
Um tubaronense preso há sete meses na Penitenciária Pública de São Cristóvão do Sul, planalto central catarinense, na comarca de Curitibanos, continua atrás das grades mesmo após receber autorização judicial para passar a cumprir prisão em regime semiaberto. Acusado de atentado ao pudor, ele foi encaminhado para lá em função da superlotação no Presídio Regional de Tubarão. 
 
O homem foi condenado a pena de sete anos de reclusão, em regime fechado, por crimes cometidos em 1998 e 1999. A sentença foi proferida em 2007. Entretanto, em 16 de novembro do ano passado, poderia passar a cumprir o regime semiaberto. A decisão, unânime, é da Segunda Câmara Criminal. 
 
Segundo o advogado do detento, Wanderlei Becker, o tubaronense possui uma esposa tetraplégica que depende dele financeiramente para sobreviver. “Quando ele for liberado, será proposta a revisão criminal para provar que ele está sendo vítima de uma injustiça”, relata o advogado. Wanderlei viaja hoje para Curitibanos com o objetivo de requerer o cumprimento da ordem do Tribunal de Justiça de Santa Catarina.