Braço do Norte
 
Um tubaronense acusado de atentado ao pudor, preso há sete meses na Penitenciária Pública de São Cristóvão do Sul, planalto central catarinense, teve a sua ordem de prisão revogada pelo Juízo da Vara de Execuções Penais da Comarca de Curitibanos, e está solto em regime total de liberdade. Segundo o seu advogado, Wanderley Becker, após ele ter sido condenado e com o surgimento de novos fatos que provam a sua inocência, a justiça jamais poderia negar-lhe a liberdade. 
 
“Ele foi vítima de uma injustiça feita por uma pessoa que não o quer bem”, revela. Amanhã, o advogado estará na Penitenciária Pública de São Cristóvão do Sul para trazer o cliente de volta para a família, em Tubarão. 
 
Wanderley entrará com uma ação de revisão criminal para comprovar que Pedro Paulo foi preso injustamente. “Não tenho dúvidas de que a ação será julgada procedente e o estado será condenado a indenizar por todos os danos materiais e morais sofridos por meu cliente e sua família. Ele possui uma esposa tetraplégica que depende dele financeiramente e ficou num sofrimento terrível esse tempo todo”, relata.