Rafael Andrade
Tubarão

Mais uma tragédia foi registrada ontem, no início da tarde, no trânsito de Tubarão. Felipe dos Anjos Venâncio, de 9 anos, morreu atropelado a caminho da escola, na comunidade do KM-60. Ele estava na garupa de uma bicicleta conduzida pela colega de sala, Júlia Passarela Levandowski, também de 9 anos.
O acidente ocorreu no quilômetro 37 da SC 440, a 300 metros da escola Sagrado Coração de Jesus, onde os dois estudavam.

Júlia ficou gravemente ferida. Ela foi encaminhada ao Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) e, até o fechamento desta página, por volta das 23 horas, o seu estado de saúde era considerado gravíssimo e ela corria risco de morte. Júlia teve fraturas em várias partes do corpo e uma grave lesão na cabeça, provavelmente provocada pela batida no parabrisa da Courier de Tubarão, que atropelou as crianças.

O motorista, de 31 anos, ficou em estado de choque. Ele passou mal e também foi levado para o HNSC. Os médicos não conseguiam estabilizar a sua pressão. O filho do motorista, que estava no banco de trás do veículo, também precisou de atendimento médico. Até ontem à noite, a criança estava em estado de choque, não falava com ninguém e somente chorava.

“Felipe morava perto da escola – cerca de dois quilômetros. Ele sempre vinha com a Júlia, que era a sua vizinha”, explica o diretor da unidade de ensino, Celso Duarte Medeiros. O menino era filho único.

Desespero
Os pais do menino Felipe dos Anjos Venâncio, de 9 anos, chegaram poucos minutos após a tragédia. Comovidos e amparados por parentes, amigos e vizinhos, mãe e pai abraçaram-se por quase cinco minutos e desmairam ao ver o pequeno Felipe à beira da rodovia, coberto por um lençol. O condutor da Courier poderá responder por homicídio culposo, quando não há a intenção de matar.

“Não aguento mais perder alunos nesta rodovia”

A citação acima é do diretor da escola Sagrado Coração de Jesus, Celso Duarte Medeiros. O educador lembra que a morte do estudante Felipe dos Anjos Venâncio, ontem, é a segunda ocorrida na rodovia SC-440 este ano. Em abril, um jovem de 14 anos, estudante da 8ª série, também morreu atropelado nas proximidades.

“Ano passado perdemos quatro crianças neste tipo de tragédia. Ou o estado toma uma atitude e constrói um passeio público decente e ciclovias, ou nós tomaremos uma atitude como bloquear a passagem de veículos por tempo indeterminado”, ameaça Celso.
João Geraldo Gomes, vizinho de Felipe, concorda com o planejamento de Celso e completa: “Realmente aqui é muito perigoso. Vamos incentivar os moradores da comunidade a cobrar mais do estado e dar melhores condições a nossas crianças”, avalia o morador.

Quase 500 alunos estudam na escola que tem um dos melhores índices de notas da rede pública de Tubarão. Hoje, alunos e professores farão uma homenagem para Felipe. Segundo o diretor, ele era um menino estudioso, educado e gostava muito de ajudar os colegas na sala de aula.