Vinte e três réus presos desde março do ano passado na Operação Armagedom foram condenados pela justiça em Araranguá. Entre esses, 19 são integrantes de uma associação criminosa voltada para o tráfico de entorpecentes.

Somadas, as penas alcançaram 167 anos, nove meses e 14 dias de prisão. As penas individuais variam de dois a 11 anos de reclusão, de acordo com a participação de cada um deles nos crimes praticados.

Eles foram condenados também ao pagamento de multas que somam o correspondente a 894 salários-mínimos.

O Promotor de Justiça Pedro Lucas de Vargas, titular da 3ª Promotoria de Justiça de Araranguá, parabenizou o esforço dos envolvidos: “Foi um trabalho feito a muitas mãos. Vários Promotores de Justiça e servidores atuaram no processo, que teve uma investigação muito bem conduzida pela Polícia Civil”. A investigação do caso foi realizada durante dois anos pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Araranguá.

Doze dos condenados permanecerão presos mesmo se recorrerem da decisão – três deles em prisão domiciliar -, diante do receio de que, soltos, retornem à prática delituosa. A sentença da 2ª Vara Criminal determinou, ainda, que imóveis e veículos apreendidos na operação sejam destinados à União. Cabe recurso da decisão ao Tribunal de Justiça de SC.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul