Maycon Vianna
Tubarão

A noite de sábado para a dona de casa Tânia Maria Guimarães, 46 anos, moradora da rua Francisco de Assis, na Área Verde, bairro Campestre, foi um verdadeiro terror. Ela estava em casa e assistia um programa de televisão, quando, de repente, escutou uma voz ‘alterada’ do outro lado do muro. “A pessoa chamava pelo meu filho. Ele insistia que gostaria de falar com o Thiago, mas disse para não abrir a porta, pois já era tarde e poderia ser perigoso”, relata Tânia.

Depois de chamar e não ser atendido, o homem aproximou-se da porta principal da casa. O cachorro, preso, latia sem parar. O criminoso chegou mais próximo da casa e, quando Thiago Corrêa Guimarães, 23 anos, aproximou-se para o ver o que acontecia, foram feitos três disparos: dois pegaram na porta e um o atingiu. Testemunhas afirmam que duas motos com três rapazes chegaram ao local. “Quem atirou pensou que meu filho estava atrás da porta, mas, na realidade, Thiago já estava ferido no chão”, conta Tânia.

Thiago continua internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e respira com a ajuda de aparelhos. Ele está em coma induzido no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) e a bala continua alojada, próximo ao nariz. De acordo com a equipe médica do hospital, ainda não há uma previsão de cirurgia para a retirada da munição. A PM de Tubarão recebeu uma denúncia no mesmo dia do crime que dois suspeitos em uma motocicleta estavam foragidos. O homem que efetuou o disparo não foi encontrado pela polícia.