Publicado às 22h01min desta quinta-feira (23)

Sangão

Um tiroteio registrado há poucos minutos na praça central de Sangão assustou moradores e pedestres. Cerca de 12 tiros foram disparados contra um automóvel, onde estaria uma das partes envolvidas na briga desta terça-feira (21), entre Luciano Eduardo, e o ex-prefeito de Sangão, Antônio Mauro Eduardo, que são primos.

Apesar da quantidade de balas, ninguém ficou ferido, mas a violência ficou evidente no veículo. A Polícia Civil se desloca à região da tentativa de atentado.

Outras informações em breve…

Confira a matéria publicada no Portal Notisul e no Jornal Notisul na edição desta quarta-feira (22)

Sangão

Uma discussão em Sangão ontem de manhã terminou com duas pessoas feridas. Os motivos que levaram ao desentendimento são divergentes, mas pelo menos um dos lados afirma que estão ligados à eleição suplementar que vai escolher o próximo prefeito do município em 2 de abril.
A briga teve início por volta das 7h30min no pátio de uma lavação de automóveis. Antônio Mauro, ex-prefeito de Sangão, afirma que foi mordido no nariz pelo seu primo Luciano Eduardo, funcionário da prefeitura de Sangão e coordenador da campanha do Partido Progressista (PP).
Mauro, que é dono de uma construtora, teria ido até a lavação buscar dois pedreiros que havia contratado para uma obra em Criciúma. Os pedreiros, segundo Mauro, são funcionários de Luciano. Foi nesse momento que Luciano teria chegado de carro. Mauro estaria tratando de assuntos ligados à obra, quando Luciano teria se irritado e atacado o primo, já alegando também motivos políticos, uma vez que Mauro deixou o PP para se filiar no PSDB.
Mauro foi encaminhado para o Hospital de Morro da Fumaça, onde recebeu pontos no nariz. Ele afirma que ontem à tarde esteve na delegacia de Jaguaruna, onde registrou Boletim de Ocorrência. Diz também que iria ao Instituto Médico-Legal (IML), em Tubarão, para fazer o corpo-delito.
Ontem, o Notisul entrou em contato com Luciano, mas ele não atendeu as ligações. Uma testemunha, que prefere não se identificar, garante que a discussão não ocorreu por desavenças políticas, e sim por questões ligadas ao trabalho de ambos: há cinco anos, Mauro contrata mão de obra de Luciano na construção civil.
Segundo ela, o motivo do desentendimento teve início um ano atrás. “Os dois têm temperamentos fortes e partiram para a briga. O pai de Luciano não conseguiu separar”, relata a testemunha.

Irmã de Mauro também teria sido agredida

Enquanto Mauro ia ao hospital, sua irmã Albertina Eduardo foi até a lavação procurar saber o que havia ocorrido. Lá, segundo Mauro, ela teria discutido com o primo Braz Eduardo, pai de Luciano e dono da lavação de automóveis. Mauro diz que ela teria sofrido arranhões nos braços e teria sido empurrada à força para dentro do próprio carro.
A mesma testemunha ouvida pelo Notisul e que não quis se identificar afirma que a briga entre Albertina e Braz não ocorreu, apenas um bate-boca. Sobre a agressão, ela sugere que foi Albertina mesmo quem se arranhou para incriminar Braz.

Nomes na disputa pela prefeitura

A eleição suplementar ocorre porque o prefeito reeleito, Castilho Silvano Vieira (PP), teve seu registro de candidatura negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Dalmir Carara Cândido (PP) está na cabeça de chapa, com o vereador Valdeci Serafim, o Nego do Frizzo (PP), como vice. A outra chapa é formada pelo ex-vice-prefeito Herivelto de Castro Reynaldo (PMDB) na cabeça e o ex-prefeito Paulo Jorge Machado (PMDB) de vice.