O quadro recuperado ontem retrata um momento da Via Sacra.
O quadro recuperado ontem retrata um momento da Via Sacra.

Mirna Graciela
Tubarão

Uma tela do pintor Willy Zumblick, que retrata uma das Estações da Via Sacra, foi recuperada ontem pela manhã pela Polícia Civil de Tubarão. Trata-se de mais uma obra das 20 furtadas do acervo do artista, em novembro de 2009, em sua residência.

Através de investigações dos agentes da Central de Operações Policiais (COP), por volta das 9h30min, os policiais prenderam um homem de 54 anos, no bairro Fábio Silva, em uma loja de móveis, conhecida por adquirir e vender produtos roubados. “Ele já tinha um histórico de receptação”, revelou o delegado Marco Ghizoni, que coordena a COP, em Tubarão. “Das 20 obras roubadas, nós recuperamos 15. Pode demorar, mas encontraremos as outras”, garantiu Ghizoni.

Um dos filhos do artista, Túlio Zumblick, fez um apelo às pessoas que, porventura, estejam em posse das telas ou conheça alguém que esteja: que procure a polícia e faça a devolução, pois não corre risco.

Como foi o roubo

Vinte telas do pintor catarinense Willy Zumblick foram furtadas da casa onde ele vivia em Tubarão, em novembro de 2009. O furto foi descoberto alguns dias depois, através da denúncia de uma pessoa de que duas telas estavam guardadas no banheiro de um bar. Os três filhos de Willy que moram em Tubarão foram até à casa e constataram o arrombamento. Algumas telas e um aparelho de ar condicionado, lustres, uma travessa de prata e até lâmpadas foram levadas. Havia um rombo no forro de gesso da casa. A suspeita é de que os ladrões tenham entrado pelo telhado.

Willy Zumblick

Willy Zumblick nasceu em Tubarão, em 1913, e tornou-se um dos maiores nomes da arte catarinense. Durante 75 anos de carreira, pintou mais de 5 mil telas, a maioria com temas ligados à cultura açoriana e fatos, como a festa da Bandeira do Divino. Em 2000, foi eleito um dos 20 catarinenses mais ilustres do século 20 por uma votação popular. Nessa mesma época, com saúde debilitada, parou de pintar e passava o dia na relojoaria fundada por seu pai, onde aprendeu a profissão de relojoeiro. Em setembro de 2007, foi internado no Hospital Nossa Senhora da Conceição com infecção pulmonar. Morreu às 21 horas do dia 3 de abril de 2008.

"É muito importante resgatar essas obras. Quem ganha é Tubarão, o estado, afinal, poderiam estar expostas para o mundo inteiro. Por isso, oferecemos uma boa gratificação para quem devolvê-las. Todas estão catalogadas, é melhor entregar do que ser o receptador."

Túlio Zumblick, filho de Willy Zumblick