Wagner da Silva
Braço do Norte

“Quase perdi minha família. Espero providências”, reclama o agricultor Ademir Beltrame. Ele viu a sua família – a esposa e três filhos – despencar de uma ponte pênsil sobre o rio Braço do Norte, na comunidade de Represa, em Braço do Norte, às 8h15min de ontem.
Eles seguiam para a missa. Ademir conta que ficou para trás e foi o único a não cair. Um cabo se partiu e três pessoas que o acompanhavam caíram de uma altura de cinco metros. Outra ficou pendurada nos cabos de sustentação.

Ademir, desesperado ao ouvir os gritos de socorro de seus filhos e da esposa, tentou ajudá-los junto com outra pessoa que passava pelo local. Sem sucesso, acionaram o resgate, que demorou uma hora para chegar. A filha mais nova, Nathália Beltrame, 12 anos, foi a única a se ferir com gravidade na queda. Ela quebrou a bacia. A mãe e outros dois adolescentes tiveram ferimentos leves.

“Este acesso é o principal utilizado pelas crianças que vão à escola. Imagine se fosse um dia de aula. Cerca de 30 crianças utilizam esta ponte diariamente. Com certeza, teríamos uma tragédia nunca vista na região. Ver minha família naquele estado, pendurada nos cabos de sustentação daquela ponte, foi terrível”, lembra Ademir.
A menina Nathália foi encaminhada ao Hospital Santa Teresinha, onde passou por uma cirurgia. Ela passa bem.

Prefeito e vice estiveram no local

Após o incidente, o prefeito licenciado de Braço do Norte, Evanísio Uliano (PP), foi informado do fato e, acompanhado pelo seu vice-prefeito, hoje prefeito em exercício, Valberto Wiggers Michels (PT), foi avaliar a situação.
Valberto lamenta o fato e lembra que na semana passada esteve no local, com uma empresa especializada em reparos em pontes. Ele solicitou melhorias imediatas. “Mas não puderam ser feitas, pois o clima ruim atrapalhou”, informa Valberto.

O prefeito em exercício confirma que foram feitos projetos, solicitando recursos junto ao governo federal, para a construção de uma nova estrutura. “Sabíamos do problema e, desde que assumimos, estamos em busca dos recursos. Nossa prioridade é a segurança e agora vamos refazê-la com maior urgência possível”, garante Valberto.