Zahyra Mattar
Laguna

A formação de um ciclone extratropical deixou em alerta as autoridades de defesa do estado, especialmente no litoral. Apesar das constantes notícias e avisos meteorológicos, alguns desavisados insistem em entrar no mar. Algo neste sentido ocorreu na tarde de quinta-feira, na praia do Cardoso, no Cabo de Santa Marta, em Laguna. O gaúcho Thiago Marques, 23 anos, resolveu surfar. Afinal, as ondas grandes são sempre um convite para os adeptos do esporte.

Porém, as fortes correntezas e o mar revolto levaram Thiago para muito longe da praia. Até que uma onda o jogou contra as pedras na ilhota da praia do Cardoso. A prancha quebrou e Thiago, já sem forças, não conseguiu mais voltar. A primeira maré de sorte do surfista veio por volta das 19h10min, quando o cidadão Hamilton Bitencourt olhava o mar e viu algo estranho na ilhota.

Ele e um amigo pegaram os seus carros e acenderam os faróis contra a água para ver se conseguiam ver melhor. Lá estava Thiago. Rapidamente, Hamilton telefonou para o Corpo de Bombeiros de Laguna. E foi quando chegou a segunda maré de sorte do rapaz.
Um jet ski foi destacado para prestar socorro, ainda que a manobra não seja indicada para ser feita à noite. Mas uma vida corria perigo e o frio poderia matar Thiago de hipotermia. Sem pensar em si, o cabo Manoel Tadeu de Souza pegou o veículo aquático e partiu em direção à ilhota.

Após quatro tentativas frustadas, o bombeiro militar conseguiu retirar Thiago com segurança da água e deixá-lo na praia.
“A ocorrência foi de difícil atendimento, especialmente por ter sido efetuada no período noturno (aproximadamente às 20h50min), com o mar estava muito revolto”, relata o cabo Tadeu. Para complicar a situação, o bombeiro estava sozinho e ainda tinha que pilotar o jet ski.

De qualquer maneira, foi o ato de coragem e persistência de cabo Tadeu, que agiu com perícia neste salvamento, que garantiu a segurança do surfista. “Fica um alerta a todas as pessoas para que não entrem no mar pelas próximas 72 horas, no mínimo. O risco de acidentes é quase de 99% devido às condições climáticas”, alerta o bombeiro herói. (Confirma mais sobre a previsão do tempo nas páginas 6 e 4 desta edição).