Um adolescente de 16 anos morreu após “surfar” no teto do vagão de um trem que passava pelo Distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá, no litoral de São Paulo. Renan Diego Oliveira de Araújo caiu do vagão e chegou a ser socorrido, mas teve a perna amputada e não resistiu aos ferimentos. 

Em estado grave após o acidente, o adolescente foi levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital Santo Amaro. Renan teve a perna esquerda amputada e, na segunda-feira (30), não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo familiares, o estudante era praticante de ‘surfe ferroviário’ – ato de viajar em cima do teto dos vagões de trem por necessidade ou diversão – nos trilhos, próxima ao bairro Paecará, quando sofreu o acidente no último fim semana.

O velório e sepultamento devem ocorrer nesta terça-feira (1º). A Polícia Civil investiga as causas do acidente.

Vários jovens já foram vítimas do surfe ferroviário

A prática já vitimou vários jovens no Brasil e no mundo, e campanhas de conscientização são realizadas para coibir a prática, que infringe o artigo 132 do Código Penal – expor a vida ou a saúde de terceiros a perigo direto e iminente. Caso haja reincidência, podem responder pelo artigo 260, que trata de perigo de desastre ferroviário – crime inafiançável.