Santa Catarina teve importantes avanços nos indicadores de segurança pública em 2019. Além de ter investido em equipamentos de tecnologia da informação, a Secretaria de Estado da Segurança Pública conseguiu reduzir os índices criminais e atuou no desenvolvimento de ferramentas para atender a população catarinense de forma mais ágil e dinâmica, com o aplicativo PM Cidadão e a nova carteira de identidade.

Um exemplo das novas tecnologias que trabalham a favor da segurança é o projeto de videomonitoramento Bem-Te-Vi, que reforça a capacidade de monitoramento nos espaços públicos pelo estado. O sistema mantém 3.040 câmeras cadastradas em Santa Catarina, com 2.753 delas ativas. Ao todo são 140 municípios atendidos com este serviço e 471 clientes

Neste ano, a SSP adquiriu equipamentos de tecnologia da informação, que ampliam a capacidade de processamento e armazenamento nos maiores municípios catarinenses, como São José, Florianópolis, Blumenau, Joinville, Criciúma e Chapecó. Com isso, a capacidade média de gravação aumentou de oito para 16 dias de gravação, o que permite um maior número de buscas de imagens nos servidores do programa Bem-Te-Vi.

Redução nos indicadores

Os números da PM revelam uma redução nos principais indicadores de crimes pelo estado. Até 8 de dezembro, foram registrados 461.101 boletins de ocorrências, 45.107 prisões em flagrante e o cumprimento de 7.161 mandados de prisão. Também foram contabilizados 756 crimes letais em Santa Catarina, o que representa uma redução de 14% na comparação com o mesmo período de 2018, ou seja, 128 vidas preservadas.

A incidência de roubos ficou em 6.265, indicando uma redução de 31%. Em relação a furtos, houve diminuição de 12%, com 36.552 furtos em 2019. Também foram recuperados 4.954 veículos e apreendidas 2.072 armas neste ano.

“A PMSC  age sempre de forma proativa, com engajamento contínuo dos efetivos e meios em ações de abordagens policiais nos logradouros públicos, barreiras, bloqueios, varreduras, pente-fino, fiscalização de estabelecimentos de diversão, na fiscalização de apenados, dentre outros”, afirma o comandante-geral, coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Junior.

Trabalho preventivo

Como parte do trabalho preventivo, a Polícia Militar realizou 73.857 visitas comerciais, 35.983 escolares, 22.359 dentro do Programa Rede Catarina e 20.304 residenciais e ou condominiais. Ao todo foram 694.263 programações operacionais, 151.375 rondas, 218.018 policiamentos, 193.863 operações, 26.043 fiscalizações entre situações de apenados e de medidas protetivas e 934 ações do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência, o Proerd.

A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) também lançou neste ano o aplicativo que facilita a interação do cidadão catarinense na solicitação de atendimento. Com o PMSC Cidadão, o usuário pode enviar vídeos, fotos e áudios, que irão gerar as ocorrências. O PMSC Cidadão também promove, além de denúncias de forma anônima, as ações de proteção à mulher vítima de violência doméstica e familiar, dentro do Programa Rede Catarina de Proteção à Mulher.