Rafael Andrade
Tubarão

O mecânico de bicicleta Valdemir Antunes, 48 anos, e sua filha, Andréa Cristina Antunes, 23, foram amparados pelos vizinhos ontem à noite. Todos os móveis da casa onde moraram há 14 anos ficaram espalhados no meio da rua Bernardino Antunes Teixeira, no bairro Santo Antônio de Pádua, em Tubarão.

Uma parente próxima à família Antunes teve em seu favor um mandado de reintegração de posse, expedido pelo juiz Giuliano Ziembowicz, no dia 9 do mês passado, e cumprido ontem por um oficial de justiça e Polícia Militar.

Valdemir afirma que não recebeu nenhuma notificação da justiça sobre o processo, mas tinha o conhecimento que a sua parente havia conseguido a transferência da escritura para o seu nome. “A casa era uma herança da minha esposa (Dilma Nunes, 52 anos), que morreu há dois anos. Como eu, a minha companheira não sabia ler e escrever. Mesmo assim, foi levada a um cartório da cidade e colocou o dedão em uma declaração de transferência. A minha esposa nem sabia o que estava fazendo”, declara Valdemir.

A filha do mecânico teve que ser retirada por vizinhos assim que as suas roupas e bens eram jogados na rua por funcionários de um caminhão que levaram os móveis da nova dona. “Isto não se faz. Colocar estas pessoas na rua. Eles não têm para onde ir e nem sabem o que fazer”, lamenta a vizinha Doraci Pereira dos Santos.

Voz trêmula e olhar perdido

Valdemir Antunes não conseguia nem explicar direito o que ocorreu com ele e sua filha ontem à noite. Ele é mecânico e tirava o dinheiro do sustento através de um pequeno conserto de bicleta em uma garagem nos fundos da casa que morou por 14 anos. O imóvel agora é ocupado por uma parente.