Maycon Vianna
Braço do Norte

Os investigadores da Polícia Civil de Braço do Norte começam a reunir informações, através de declarações de testemunhas, sobre uma possível rede de prostituição que envolve menores da região.

A denúncia veio à tona depois que uma menor de 14 anos confirmou aos policiais que uma pessoa agencia os seus programas no Vale. Por volta das 20 horas de terça-feira, ela foi flagrada em um motel com um advogado de 60 anos.
Conforme o Notisul publicou ontem com exclusividade, os policiais militares receberam a denúncia anônima no Centro de Operação (Copom) e flagraram o homem quando saía (de roupas íntimas) do quarto do estabelecimento. Foi dada voz de prisão. O advogado e a menor foram encaminhados à Central de Polícia Civil para prestar depoimento.

“Instauramos o inquérito policial e já levantamos algumas informações. Ele pode ser enquadrado por crime de corrupção de menores”, revela o delegado de Braço do Norte, Bruno Vaz Marinho.
Ainda segundo o delegado, a rede de prostituição pode ser mais ampla do que se imagina. “Mais pessoas podem estar envolvidas no aliciamento de menores. Há fortes indícios de uma rede de prostituição com sede em Braço do Norte e existe um mentor. A Polícia Civil está empenhada em ouvir todos os suspeitos e, dentro de 30 a 60 dias, teremos a resolução do inquérito sobre o caso flagrado no motel”, diz Bruno.

Indícios do esquema
• A comunidade de Braço do Norte aponta uma pessoa responsável por agenciar várias menores até mesmo por telefone. “Um possível ‘cafetão’ liga para os interessados e combina o valor e a menor vai até a residência para fazer o programa”, relata um morador de Braço do Norte.

• O delegado Bruno Vaz não descarta a hipótese de os contatos da rede de prostituição serem feitos por telefone. “Isso ainda iremos apurar com mais precisão, mas é perfeitamente possível que isso ocorra. Só com o tempo poderemos saber de fato como ocorre o esquema”, expõe.